22-01-2017

20-01-2017
Europa
Perda semanal de 0,80% antes da inauguração de Trump
 
O índice STOXX 600 está a cair ligeiramente e a caminho de uma perda semanal de mais de 0,80%. O índice pan-europeu ganhou quase 10% durante os últimos dois meses, mas desceu do seu máximo de Janeiro com receios de que Trump tenha dificuldades em cumprir as suas promessas de estímulos.

Entre os piores desempenhos estão o fornecedor de "vouchers" e cartões pré-pagos francês Edenred que cai 2,60% depois do seu maior accionista Colony Capital ter vendido toda a sua participação de 11,2% na empresa.

A seguradora dinamarquesa Tryg registou o pior desempenho do STOXX, a cair 1,77% depois de o seu lucro do quarto trimestre ter ficado aquém das expectativas.
20-01-2017
Metais - Energia - Moeda
Ouro sobe pela quarta semana
 
Metais: O ouro está em queda ligeira hoje apesar de estar a caminho da quarta semana de ganhos, depois de na Terça-feira ter alcançado o nível mais elevado desde Novembro.

Energia: Os preços do petróleo sobem devido à queda das reservas no principal centro de armazenamento de petróleo nos EUA.

Moeda: O euro cai ligeiramente em relação ao dólar no dia em que o presidente eleito Donald Trump toma posse. O dólar aprecia em relação às moedas japonesa e inglesa.
20-01-2017
França
Le Pen lidera nas sondagens
 
Uma nova sondagem da Ipsos Sopra Steria, confirma que Marie Le Pen é a candidata melhor posicionada na corrida às presidenciais francesas, recolhendo 25% a 26% das intenções de voto.

Em segundo lugar, surge o candidato conservador François Fillon, com 24% a 25% dos votos, sendo seguido pelo candidato independente Emmanuel Macron com 19 a 21%.

No Domingo. dia 22 de Janeiro, decorre a primeira volta das eleições primárias do partido Socialista francês.
20-01-2017
Estados Unidos de América
Inauguração de Trump como presidente EUA hoje pelas 17h00 GMT
 
Donald Trump será empossado hoje como presidente dos Estados Unidos, com a cerimónia a ter início pelas 17h00 GMT na Casa Branca em Washington. O dia da posse presidencial é conhecido como o "Inauguration Day" e ocorre no dia 20 de Janeiro desde 1937.

Desde a sua eleição no passado dia 8 de Novembro até ao fecho do dia de ontem, o índice S&P 500 valorizou 5,80% e desde do "Inauguration Day" de Obama no dia 20 de Janeiro de 2009, o índice S&P 500 valorizou 166%.

Desde 1953, o índice S&P 500 valorizou-se em média 1,60% durante os primeiros 100 dias do primeiro mandato de um novo Presidente dos EUA. Quando foi eleito um Presidente pertencente ao partido republicano o comportamento durante este período foi ligeiramente negativo (uma desvalorização de 0,40%) e quando o Presidente era Democrata o comportamento do S&P 500 foi positivo (3,50%).
20-01-2017
Millennium BCP
CMVM proíbe vendas a descoberto das acções do BCP hoje
 
A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários anunciou ontem a proibição temporária de vendas a descoberto das acções do BCP, hoje.

O regulador justifica esta decisão “considerando que a diminuição do preço das acções, em relação ao preço de fecho do dia de negociação imediatamente anterior, foi de 11,37%”, e “que a flutuação do preço das acções em causa não pode excluir a ocorrência de um fenómeno de especulação com impacto negativo”.
20-01-2017
Abertura de Mercados
Mercados aguardam com muita expectativa início de mandato de Trump
 
Os mercados europeus estão previstos abrirem na linha de água com os investidores a aguardarem com muita expectativa o início de mandato de Donald Trump, que arranca hoje com a tomada de posse do Presidente-eleito. Os mercados reagiram com euforia às prometidas políticas expansionistas de Trump, que anunciou cortes de impostos, investimentos massivos em infra-estruturas e uma diminuição da regulação para impulsionar o crescimento. Contudo, não são conhecidos os detalhes do seu plano económico, o que está a causar apreensão nos mercados.

Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,34% e as praças chinesas negociavam em alta depois dos dados económicos publicados hoje. A economia chinesa cresceu 6,7% em 2016 que representa o ritmo mais lento dos últimos 26 anos. As vendas a retalho foram 10,9% em termos homólogos acima do esperado pelos economistas de 10,7% e a produção industrial foi 6,0% em termos homólogos aquém dos 6,1% previstos

As principais praças bolsistas norte-americanas encerraram no vermelho. O índice Dow Jones concluiu a sua primeira série de cinco quedas seguidas desde as eleições presidenciais de 8 de Novembro com o sector da banca, títulos do imobiliário e "utilities" entre os mais penalizados.

Dados Macroeconómicos:

• 02h00: China - Produção Industrial (Dezembro)
• 02h00: China - Vendas a Retalho (Dezembro)
• 02h00: China - Produto Interno Bruto (Dezembro)
• 07h00: Alemanha - Índice de Preços no Produtor (Dezembro)
• 09h30: Reino Unido - Vendas a Retalho (Dezembro)

Eventos:

• Donald Trump empossado como Presidente dos EUA

Resultados:

• Europa: Tryg (06h30)
• EUA: General Electric (AA), Synchrony Financial (AA), SunTrust Banks (11h00), Regions Financial (11h00), Rockwell Collins (11h30), Procter & Gamble (12h00), Citizens Financial Group (12h00), Kansas City Southern (13h00)

Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

• Novo Banco paga ajudas do estado em Fevereiro (Negócios)
• TSU arrisca a ser o primeiro de muitos choques na geringonça (Negócios)
• Presidentes das CCDR vão ganhar mais 29% (Negócios)
• Produtor da "Fé" ameaça levar Sony a tribunal (Negócios)
• Posse de Trump: A presidência perigosa (Público)
• CDS diz que PSD tornou "mais difícil" tirar Lisboa a socialistas (Público)
• Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional (Público)
• Banco Económico pagou 212 milhões de dólares ao Novo Banco mas adia segunda tranche (Observador)
• Esquerda chuma qualquer alternativa à descida da TSU (Diário de Notícias)
19-01-2017
Zona Euro
Subida inflação na Zona Euro não é convincente - Draghi
 
O aumento da inflação na Zona Euro está a ser impulsionado principalmente pela flutuação dos preços de energia e não há sinais que seja sustentável, disse o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, hoje.

"É provável que a inflação acelere ainda mais no curto prazo, reflectindo em grande medida os movimentos dos preços da energia em base anual. Porém, as medidas de inflação deverão subir mais gradualmente a médio prazo."

A declaração levou o euro a enfraquecer em relação ao dólar e atingir mínimos de 10 dias contra a libra.
19-01-2017
Metais - Energia - Moeda
Petróleo recupera com corte de produção dos membros da OPEP
 
Metais: O ouro está em queda, pela segunda sessão consecutiva, depois de sete dias de ganhos consecutivos. Os investimentos em activos negociados em dólar tendem a diminuir com a depreciação da moeda norte-americana.

Energia: Os preços do petróleo estão a recuperar devido aos cortes de produção dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e as perspectivas futuras. Ontem foi publicado o relatório da OPEP sobre a produção de Dezembro, registando-se a primeira quebra mensal em sete meses.

Moeda: As declarações de Janet Yellen, presidente da Reserva Federal provocaram uma subida acentuada do dólar ontem com os investidores a reflectirem no mercado cambial a expectativa de subidas de juros nos EUA. Hoje o euro está a recuperar parte dessa descida.
19-01-2017
Europa
Acções europeias em queda ligeira com Zodiac Aerospace a liderar ganhos
 
O índice pan-europeu STOXX600 está a cair 0,15% com as acções da Zodiac Aerospace a ganharem 20,72% depois da oferta de aquisição da francesa Safran de $9 mil mn.

Os resultados também deram um impulso às acções da Moneysupermarket.com, a ganhar 7,03% para o seu nível mais alto desde Março de 2016, depois do site de comparação de preços ter dito que espera um aumento de 8% no seu lucro operacional.

As acções da Ahold Delhaize sobem 3,82$ depois da retalhista holandasa ter reportado vendas no trimestre de €15,51 mil mn, ligeiramente acima do esperado de €15,47 mil mn.

Pela negativa, os resultados da Royal Mail foram aquém do esperado e as suas acções estão a descer 4,78%.

As acções da Gemalto caiem 4,20% depois do downgrade de "neutral" para "sell" por parte da Goldman Sachs com um preço-alvo de €52 por acção.
19-01-2017
Energias de Portugal
Société Générale cortou preço-alvo para €2,25 por acção
 
As acções da EDP foram alvo de um "downgrade" de "hold" para "sell" por parte da Société Générale com um preço-alvo de €2,25 por acção.
19-01-2017
Sonae SGPS
Vendas retalho sobem 7% para recorde em 2016
 
As vendas a retalho da Sonae cresceram 7,2% para €5.198 mn em 2016, um recorde, apoiadas na expansão do universo de lojas no alimentar e nas receitas das recém-adquiridas lojas de vestuário da Losan e da Salsa, no segmento especializado.

No conjunto do quarto trimestre, as vendas da maior retalhista de Portugal subiram 8,8 % para €1.452 mn.

As vendas foram em linha com a previsão para o ano de €5.169 mn do CaixaBI e de €1.420 mn do Barclays para o trimestre.
19-01-2017
Abertura de Mercados
Mercados europeus em leve alta com foco na reunião do BCE
 
Os mercados europeus estão previstos abrirem em leve alta com os investidores atentos à reunião do Banco Central Europeu. Não deverá haver uma alteração das taxas de juro nem dos instrumentos politica monetária hoje, mas o presidente, Mario Draghi, poderá comentar os números de inflação da Zona Euro divulgados ontem na conferência de imprensa.

Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,94% e as praças chinesas negociavam em queda.

As principais praças bolsistas norte-americanas encerraram mistas penalizadas pelas retalhistas com a Target que caiu 5,8%, a Dollar Tree cedeu 2,8% e a Macy’s recuou 1,5%. A Reserva Federal norte-americana publicou ontem o seu Livro Bege que revelou que a indústria está de boa saúde no país, tendo esse factor e a melhoria do mercado de trabalho e o aumento dos investimentos no sector privado sido determinantes para a Fed subir juros no mês passado.

Dados Macroeconómicos:

• 09h00: Zona Euro - Balança de Pagamentos (Novembro)
• 10h00: Itália - Balança de Pagamentos (Novembro)
• 12h45: Zona Euro - Anúncio de Taxas de Juro do Banco Central Europeu
• 13h30: EUA - Construções Iniciadas & Licenças de Construção (Dezembro)
• 13h30: EUA - Pedidos Semanais de Subsídio de Desemprego
• 13h30: EUA - Sondagem à Actividade Empresarial da Filadélfia Fed (Janeiro)
• 16h00: EUA - Reservas Semanais de Energia

Eventos:

• 13h30: Discurso de Mário Draghi, presidente do Banco Central Europeu
• 21h00: Discurso de Rosengren, membro da Reserva Federal

Resultados:

• Europa: Castellum AB (12h00)
• EUA: PPG Industries (AA), Bank of New York Mellon (11h30), International Business Machines (21h00), American Express (21h05), Schlumberger (21h15), Skyworks Solutions (DF)

Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

• Continente vende mais de mil milhões em três meses (Negócios)
• Ulrich ataca qualidade da gestão bancária (Negócios)
• Brexit e EUA vão trazer grandes mudanças na Concorrência (Negócios)
• EDP vai a tribunal em luta contra a taxa sobre energia (Negócios)
• As oito promessas de Trump que ameaçam mudar o mundo (Público)
• Assis diz que Governo está paralisado e sugere eleições (Público)
• Mais 500 professores nas escolas para ajudar alunos em risco (Público)
• Obama avisa Trump que um presidente não pode governar sozinho (Diário de Notícias)
• Bancos valem 20% do dinheiro que foi injectado (Jornal de Notícias)
18-01-2017
Estados Unidos de América
Inflação acima de 2% pela vez desde Maio 2014
 
Os preços no consumidor dos Estados Unidos subiram em Dezembro, com a subida da gasolina e dos alugueres, levando ao maior aumento na comparação anual em dois anos e meio, sinal de que as pressões inflacionárias podem estar a aumentar.

O Departamento do Trabalho afirmou hoje que o Índice de Preços ao Consumidor subiu 0,3% no mês passado, depois de avançar 0,2% em Novembro. Nos 12 meses até Outubro, a subida foi de 2,1%, o maior ganho anual desde Junho de 2014.
18-01-2017
Metais - Energia - Moeda
Euro e libra depreciam face ao dólar
 
Metais: O ouro negoceia hoje em queda ligeira depois de ter atingido máximos no dia 22 de Novembro.

Energia: O preço do petróleo negoceia no vermelho aguardando as reservas petrolíferas norte-americanas que serão conhecidas hoje. Uma sondagem da Bloomberg estima que hoje a Administração de Informação de Energia irá revelar que na semana passada a produção dos EUA caiu em 1 milhão de barris.

Moeda: O euro está a depreciar contra o dólar americano e a libra também está a recuar depois de ontem a primeira-ministra britânica, Theresa May, ter anunciado que o Reino Unido vai optar por um "hard Brexit".
18-01-2017
Estados Unidos de América
Comentários de Trump sinalizam alteração na política face ao dólar
 
"O nosso dólar é demasiado forte", disse Trump em entrevista ao The Wall Street Journal, quando questionado sobre a relação comercial com a China. "E as nossas empresas não conseguem competir com [a China] porque a nossa moeda é demasiado forte. E isso está a matar-nos."

Ao pronunciar-se contra a apreciação do dólar, o Presidente-eleito dos EUA, Donald Trump, está possivelmente a afastar-se de mais de duas décadas de um historial de um dólar forte.

Desde meados dos anos 1990, foi a política de um dólar forte foi a forma para manter as taxas de juro em baixa, a inflação sob controlo e um forte poder de compra.

Noutra parte da entrevista, Trump disse que talvez seja necessário que os EUA "façam descer o dólar" se uma alteração da política monetária o fizer subir. "Ter um dólar forte tem certas vantagens, mas também tem muitas desvantagens".

O dólar subiu cerca de 4% contra um cabaz de moedas nas semanas após a eleição de Trump e está a subir cerca de 25% desde 2014.
18-01-2017
Europa
Principais Destaques
 
ASML (ASML NA): A empresa holandesa apresentou vendas de €1,91 mil mn no último trimestre do ano acima do esperado pelos analistas de €1,77 mil mn com a margem bruta a cifrar-se em 47,2%. No total de 2016 as vendas ascenderam a €6,8 mil mn superando os €6,63 mil mn previstos. A empresa a anunciou um dividendo de €1,20 por acção.

HSBC (HSBA LN): O CEO referiu que as operações de trading que geram cerca de 20% das receitas do banco de investimento em Londres poderão ser transferidas para Paris.

Diageo (DGE LN): A empresa está a considerar aumentar a sua participação na empresa indiana United Spirits, com o objectivo de fortalecer a sua posição no mercado asiático.

Sanofi (SAN FP): A farmacêutica recebeu aprovação por parte da Comissão Europeia para comercializar o Suliqua para o tratamento de diabetes tipo 2. O grupo espera introduzir o medicamento no mercado no segundo trimestre de 2017.

Burberry Group (BRBY LN): As vendas no trimestre ascenderam a £735 mn superando os £721 mn esperados pelos analistas e com um crescimento das vendas comparáveis de 3% também sueprando os 1,4% previstos. A empresa espera para 2017 um lucro antes de imposto em linha com as estimativas de mercado de £429 mn.

Deutsche Bank (DBK GY): O banco alemão chegou a um acordo final com o departamento de justiça norte-americano num valor total de $7,2 mil mn, um valor em linha com o anunciado a 23 de Dezembro. O Deutsche Bank prevê uma penalização nos resultados antes de impostos no quarto trimestre de $1,2 mil mn.
18-01-2017
Abertura de Mercados
Mercados vistos abrirem em alta com foco nos dados de inflação
 
Os mercados europeus estão previstos abrirem em alta com os investidores aguardarem os dados da inflação na Zona Euro e Estados Unidos. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo também publica o relatório mensal do mercado do petróleo e Janet Yellen, Presidente do Fed, tem um discurso agendado para as 20 horas.

Na Ásia, as bolsas estabilizaram perto de máximos de três meses com o índice Nikkei 225 a subir 0,43% e as praças chinesas negociavam em terreno positivo.

As principais praças bolsistas norte-americanas encerraram negativas com os retalhistas a terem o maior ganho deste ano depois de Trump ter revelado alguma hesitação num imposto de ajustamento fronteiriço. Por outro lado, os títulos financeiros registarem a maior queda agregada dos últimos sete meses apesar do Morgan Stanley ter apresentado bons resultados.

Dados Macroeconómicos:

• 07h00: Alemanha - Índice de Preços no Consumidor (Dezembro)
• 09h30: Reino Unido - Taxa de Desemprego (Dezembro)
• 10h00: Zona Euro - Índice de Preços no Consumidor (Dezembro)
• 13h30: EUA - Índice de Preços no Consumidor (Dezembro)
• 14h15: EUA - Produção Industrial (Dezembro)
• 14h15: EUA - Utilização de Capacidade Instalada (Dezembro)
• 15h00: EUA - Índice Mercado Imobiliário NAHB (Janeiro)
• 19h00: EUA - Livro Bege da Fed

Eventos:

• 10h00: Audição do Ministro das Finanças, Mário Centeno, na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa sobre a Caixa Geral de Depósitos
• 10h30: IGCP realiza dois leilões de Bilhetes do Tesouro, com maturidades em Julho de 2017 e Janeiro de 2018, num montante indicativo global entre €1.250 mn e €1.500 mn
• 10h45: Discurso de Nouy, membro do BCE
• Relatório mensal sobre o mercado petrolífero da OPEP
• 16h00: Discurso de Kashkari, membro da Fed
• 20h00: Discurso de Janet Yellen, presidente da Reserva Federal

Resultados:

• Portugal: Vendas Preliminares da Sonae SGPS (DF)
• Europa: ASML Holding, Novozymes
• EUA: Charles Schwab (AA), US Bancorp (AA), Fastenal (12h00), Northern Trust (12h30), Goldman Sachs (12h30), Citigroup (13h00), Netflix (21h05), Kinder Morgan (DF)

Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

• Caixa já tem gestão aprovada (Negócios)
• PSD inflexível na TSU (Negócios)
• CaixaBank critica desempenho do BPI e promete fazer melhor (Negócios)
• Teixeira Duarte vai gerir terminal de contentores na Venezuela (Negócios)
• António Costa encontra-se com Lagarde em Davos (Público)
• Paulo Macedo e maioria da equipa já têm o "sim" do BCE (Público)
• "Novela" da TSU abafa anúncio de défice de 2,3% em 2016 (Público)
• Governo relaxa limites de ajustes directos para visita do Papa (Público)
• Reino Unido sai da Europa a preferir um não acordo a um mau acordo (Diário de Notícias)
• Acordo de concertação social já foi assinado por todos os parceiros (Expresso)
• Davos, reuniões e investimento na agenda de Costa (Dinheiro Vivo)
17-01-2017
Sonae SGPS
Apresentação Vendas Preliminares 2016 amanhã, após o fecho
 
Após a apresentação de dados positivos de vendas de 2016 da Jerónimo Martins, as unidades de retalho da Sonae SGPS também deverão ter registado uma evolução significativa nas vendas preliminares anuais.

"Esperamos constatar que a Sonae atingiu um significativo crescimento das vendas em 2016, em linha com a tendência evidenciada nos resultados dos 9M16", escreveu o analista-chefe do CaixaBI, José Mota Freitas.

O crescimento das vendas -- 6,9% na Sonae MC e 11,2% na Sonae SR em 2016 -- ter-se-á devido principalmente ao aumento da superfície comercial, na primeira, e do impacto das aquisições da Losa e da Salsa, na segunda. O aumento das vendas comparáveis da Sonae MC deverá ter sido de 2,6% no ano passado.
17-01-2017
Reino Unido
Libra acima de $1,23 com discurso de Theresa May
 
A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que os seus planos para a saída do Reino Unido da União Europeia significam que o país não continuará no mercado comum, mas adiantou que procurará firmar um acordo que adopte alguns aspectos da participação no bloco.

Ela destacou os planos para trabalhar com os membros da UE e outros países, incluindo os EUA, com o objectivo de garantir um forte acordo de comércio. Descreveu também os planos para unir as quatro nações do Reino Unido no âmbito dos planos do Brexit.

May irá colocar o acordo final sobre a saída do Reino Unido da União Europeia em votação no Parlamento e disse que vai haver algumas concessões nas negociações, mas que é importante providenciar "a maior certeza possível" e que haverá o escrutínio adequado.
17-01-2017
Portugal
"Yield" obrigações a 10 anos caem com aposta de mais estímulos BCE
 
A "yield" das obrigações portuguesas a 10 anos prolonga a queda recente, recuando nove pontos base para 3,786%, com a perspectiva que a primeira-ministra britânica anuncie uma "saída dura" da UE, que seria negativa para a economia europeia e obrigaria o BCE a prolongar os estímulos.

Amanhã, o Tesouro português realiza dois leilões de Bilhetes do Tesouro, com maturidades a seis meses e a um ano, num montante indicativo global entre €1.250 mn e €1.500 mn.
17-01-2017
Europa
Acções europeias em queda aguardando discurso da primeira-ministra Theresa May
 
O índice pan-europeu STOXX600 caiu 0,37% enquanto os mercados aguardam detalhes da posição britânica sobre o Brexit num discurso no final da manhã da primeira-ministra Theresa May.

A britânica Rolls-Royce, fabricante de motores aeroespaciais, é a acção que mais sobe (+6,02%) depois de ter estabelecido uma longa investigação sobre suborno e ter dito que o seu lucro de 2016 superará as expectativas.

As acções da fabricante suíça de chocolate Lindt subiram 4,90% com a subida das vendas na Europa, Japão e Brasil.

As acções da retalhista alemã de moda Zalando caíram 4,04%, a maior queda europeia, após o crescimento das suas vendas ter decepcionado as expectativas.

A Mediaset caiu 3,62% após uma notícia a dizer que uma potencial oferta de aquisição para a emissora italiana pela francesa Vivendi não seria "judicialmente aceitável" para a agência italiana de comunicação AGCOM.
17-01-2017
Metais - Energia - Moeda
Libra recupera depois dos dados de inflação Reino Unido
 
Metais: O ouro negoceia em alta pela sétima sessão consecutiva e está em máximos de 22 de Novembro devido aos receios em torno dos riscos económicos e políticos relacionados com o Brexit. A prata também negoceia em máximos de quase um mês.

Energia: O preço do petróleo está a valorizar depois de a Arábia Saudita ter anunciado esperar que o corte da produção petrolífera da OPEP permitirá ter equilibrado o mercado desta matéria-prima em Junho.

Moeda: O euro está a apreciar contra o dólar americano e a libra está a negociar em alta depois da inflação do Reino Unido ter atingido máximos de dois anos.
17-01-2017
Banco BPI
CMVM regista OPA Caixabank sobre BPI a €1,134
 
A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários registou a oferta pública de aquisição do CaixaBank sobre o BPI a €1,134, que decorrerá entre 17 de Janeiro e 7 de Fevereiro.

Os detentores das acções que aceitem a oferta poderão revogar as suas declarações de aceitação até 2 de Fevereiro.

O resultado da oferta será apurado em Sessão Especial de mercado regulamentado da Euronext Lisbon que se espera venha a ter lugar no dia 8 de Fevereiro de 2017.
17-01-2017
Abertura de Mercados
Mercados em queda com destaque para discurso da primeira-ministra britânica, Theresa May
 
Os mercados europeus estão previstos abrirem em queda com destaque para o discurso da primeira-ministra britânica, Theresa May, que vai divulgar uma lista com as 12 prioridades do Governo em relação ao Brexit. A primeira-ministra britânica promete revelar detalhes da estratégia do Governo britânico para negociar a saída do Reino Unido da União Europeia. O discurso, no Palácio de Lancaster House, em Londres, tem início marcado para as 11h45.

Hoje começa o Fórum Económico Mundial, em Davos (Suíça) onde participam políticos, economistas, CEO e presidentes de Bancos Centrais, com capacidade de influenciarem a conjuntura político-económica mundial. O Fórum termina no dia 20.

Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 1,48% e as praças chinesas negociavam positivas.

Dados Macroeconómicos:

• 04h30: Japão - Produção Industrial (Novembro)
• 04h30: Japão - Utilização de Capacidade Instalada (Novembro)
• 07h00: Zona Euro - Vendas de Automóveis (Dezembro)
• 09h00: Itália - Balança Comercial (Novembro)
• 09h30: Reino Unido - Índice de Preços no Produtor (Dezembro)
• 09h30: Reino Unido - Índice de Preços no Consumidor (Dezembro)
• 10h00: Alemanha - Indicador de Sentimento Económico ZEW (Janeiro)
• 13h30: EUA - Sondagem Industrial Empire State (Janeiro)

Eventos:

• Início do Fórum Económico Mundial, em Davos
• Acções do Millennium BCP negoceiam sem direito ao aumento capital
• 11h45: Discurso de Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido
• 15h00: Debate quinzenal com Primeiro-Ministro no Parlamento
• Discursos dos seguintes membros da Fed: Dudley (13h45) e Williams (23h00)

Resultados:

• Europa: Beiersdorf (07h00), Renault
• EUA: UnitedHealth Group (AA), Morgan Stanley (12h00), CSX (DF)

Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

• Altri invest 125 milhões na Celbi e Celtejo (Negócios)
• Caixa sobe comissões em Abril (Negócios)
• Oferta da Caixabank arranca hoje (Negócios)
• Marcelo promulga na hora descida da TSU (Negócios)
• Empresas com apoio de 60 milhões para contratar desempregados (Público)
• Merkel desvaloriza ameaça de Trump ao sector automóvel (Público)
• CaixaBank vai preparar plano para reduzir participação do BPI no BFA (Expresso)
• Patrões pressionam Costa e levam chumbo da TSU à Presidência da República (Jornal de Notícias)
16-01-2017
Millennium BCP
Aumento de capital é positivo mas plano estratégico é "desafiante" - Moody's
 
O aumento de capital que o Millennium bcp tem em curso é positivo para a sua posição creditícia, já que permite ao banco a absorção de riscos e reembolsar os contingent capital securities (CoCos) ao Estado, disse a Moody's.

Adiantou que o Millennium bcp - 'B1/B1, stable' - "está agora focado no seu plano estratégico para 2018, que inclui o rácio CET1 ('common equity TIER 1) consistentemente acima de 11%, tanto em regime de integração progressiva como em regime pleno".

O plano prevê reduzir o rácio de empréstimos sobre depósitos para menos de 100%, melhorar a sua rentabilidade, com custos operacionais abaixo de 50% das receitas 'core' e reduzindo o custo do risco para menos de 75 pontos base.

"Acreditamos que a consecução desses objectivos será um desafio para o BCP", afirmou a Moody's.
16-01-2017
Millennium BCP
BCP ainda tem por provisionar €2,5 mil mn de crédito em risco
 
Segundo o Negócios, o BCP, que chegou a valer em bolsa mais de €13 mil mn e realizou aumentos de capital no valor de €5,9 mil mn no período compreendido entre 2008 até 2016, está agora a pedir mais €1,3 mil mn aos seus accionistas.

O banco vale pouco mais de €750 mn e ninguém pode garantir que este será o último aumento de capital até porque à data de 30 de Junho de 2016 o BCP ainda tinha por provisionar €2,5 mil mn de crédito em risco, pelo que continua dependente de resultados operacionais.

Ou seja, o sucesso estará dependente da estabilização da banca nacional, do crescimento económico, da estabilização ou da diminuição do incumprimento.
16-01-2017
Futuros Chicago Mercantile Exchange
Redução de posições longas em S&P500
 
As posições abertas em futuros no Mercado Monetário Internacional, uma divisão da Chicago Mercantile Exchange na semana entre 3 a 10 de Janeiro 2017 são principalmente posições especulativas longas em petróleo, cobre e dólar e curtas em obrigações EUA a 10 anos, JPY, GBP, NZD e MXN.

Os investidores reduziram substancialmente as suas posições longas em S&P 500.
16-01-2017
Metais - Energia - Moeda
Ouro em alta pela sexta sessão consecutiva
 
Metais: O ouro está a negociar em alta pela sexta sessão consecutiva devido aos sinais de crescimento da procura por causa dos receios em torno do Brexit.

Energia: O petróleo está a negociar em queda ligeira numa altura em que os produtores continuam a implementar a redução da oferta acordada no ano passado. Segundo o ministro russo da Energia, as petrolíferas do país reduziram a produção em 150 mil barris por dia logo no início deste mês.

Moeda: A libra está a descer depois de notícias na imprensa britânica que asseguram que o Governo vai anunciar, amanhã, a opção do Reino Unido por uma desvinculação "dura" da União Europeia, no pós-referendo do Brexit.
16-01-2017
Portugal
Compras de dívida nacional pelo BCE €4 mil mn abaixo da meta
 
Segundo estimativas do Commerzbank, desde Abril do ano passado, as aquisições de títulos portugueses ficaram quatro mil milhões de euros abaixo da meta implícita definida por Frankfurt, que corresponde à participação de cada país na chave de capital do BCE.

A diminuição das compras mensais, que são feitas em mercado secundário, é um factor que tem deixado os investidores com um pé atrás em relação às obrigações portuguesas. Há analistas que defendem que essa diminuição é um dos elementos que tem pressionado os juros.

O Banco de Portugal explica que as aquisições de menor dimensão são uma forma de se garantir que há títulos suficientes para manter as compras até final do programa.
16-01-2017
Millennium BCP
Último dia de negociação das acções com direito à subscrição do aumento capital
 
Hoje é o último dia se quer participar no aumento de capital do BCP.

O banco prevê iniciar a primeira sessão de transacção de acções sem direitos amanhã, dia 17, seguindo-se o período de negociação dos direitos de subscrição, entre 19 e 30 de Janeiro com o símbolo de negociação BCPS4

Por cada acção detida, os accionistas recebem um direito à subscrição de 15 novas acções ao preço de 9,4 cêntimos cada.
16-01-2017
Fusões & Aquisições
Essilor compra Luxottica por €22,8 mil mn
 
Segundo a Bloomberg, a francesa Essilor vai comprar a italiana Luxottica por cerca de €22,8 mil mn, num negócio que combina dois gigantes da indústria dos óculos.

Os accionistas da Luxottica vão receber 0,461 acções da Essilor por cada título da Luxottica que detenham, segundo informaram as duas empresas em comunicado. A oferta é de 47,07 euros, um valor 5% inferior ao valor de fecho da Luxxotica, na passada Sexta-feira.

A nova empresa – EssilorLuxottica – com receitas combinadas superiores a €15 mil mn, mais de 140 mil colaboradores e vendas em mais de 150 países, representará uma "plataforma de crescimento idealmente posicionada para aproveitar as oportunidades futuras", de acordo com o comunicado.
16-01-2017
Reino Unido
Libra abaixo de $1,20 após notícias sobre "hard Brexit"
 
A libra caiu hoje para mínimos de 32 anos contra o dólar nos mercados asiáticos depois de notícias de que a primeira-ministra britânica, Theresa May, está pronta para uma "hard Brexit" da União Europeia.

Vários jornais de Domingo do Reino Unido afirmaram que May está disposta a sair do mercado único, da união aduaneira europeia e do Tribunal de Justiça Europeu, de modo a reconquistar controlo da imigração.
16-01-2017
Abertura de Mercados
Mercados devem abrir negativos com fraca liquidez devido a feriado EUA
 
Os mercados europeus estão previstos abrirem em queda num dia que deverá ser marcado pela baixa liquidez devido ao facto dos mercados financeiros norte-americanos encontrarem-se encerrados. Peter Praet, o economista-chefe do BCE, fará um discurso e o presidente do Banco de Inglaterra, Mark Carney, também tem agendado uma declaração pública.

Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 1% e as praças chinesas negociavam em queda.

As principais praças bolsistas norte-americanas encerraram mistos. O índice Nasdaq fechou no máximo recorde de 5.574,12 pontos. Nas últimas dez sessões, o índice que agrupa os títulos tecnológicos só registou dois dias de perdas, acumulando a segunda semana consecutiva de valorizações. A penalizar o índice industrial estiveram os títulos das retalhistas, depois de conhecidos os dados de crescimento das vendas a retalho em Dezembro que, apesar de fortes, ficaram abaixo das expectativas dos analistas.

Dados Macroeconómicos:

• 00:01: Reino Unido - Índice de Preços da Habitação (Janeiro)
• 04h30: Japão - Índice de Actividade da Indústria (Novembro)
• 09h00: Itália - Índice de Preços no Consumidor (Dezembro)
• 10h00: Zona Euro - Balança Comercial (Novembro)
• 11h00: Portugal - Actividade Turística (Novembro)

Eventos:

• Mercados Financeiros EUA encerrados devido ao Dia de Martin Luther King
• 14h00: World Economic Outlook do FMI

Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

• Costa não recua na descida da TSU (Negócios)
• Autoeuropa já está a contratar 1.500 para novo modelo (Negócios)
• Compras do BCE estão 4 mil milhões abaixo da meta (Negócios)
• Câmaras ganham poderes sobre a ASAE (Negócios)
• Conta da luz: Consumidores vão pagar 112 milhões para apoiar indústria (Público)
• Descida da TSU só será totalmente paga pelo Orçamento em 2018 (Público)
• TSU: Marcelo tranquilo em relação a acordo, Marques Mendes arrasa Passos (Diário de Notícias)
• Costa quer encurralar Passos na TSU (Expresso)
• Finanças estudam solução mista para Novo Banco (Expresso)
• Trump acredita que haverá mais países a sair da União Europeia (Expresso)
13-01-2017
Estados Unidos de América
Apresentação de Resultados Banca do 4º trimestre
 
• BlackRock (BLK) - Lucro trimestral bateu as estimativas mas a receita ficou aquém

EPS: $5,14 vs $5,02 est.
Receitas: $2,89 mil mn vs.$2.93 mil mn est.

• JP Morgan (JPM) - Lucro e receitas trimestrais bateram as estimativas

EPS: $1,71 vs $1,43 est.
Receitas: $3,37 mil mn vs $3,26 mil mn est.

• Wells Fargo (WFC) - Lucro e receitas trimestrais aquém do esperado

EPS: $0,96 vs $1,00 est.
Receitas: $21,58 mil mn vs $22,45 mil mn est.

• Bank of America (BAC) - Lucro trimestral bateu as estimativas mas a receita ficou aquém

EPS: $0,40 vs $0,38 est.
Receitas: $19,99 mil mn vs $20,852 mil mn est.
13-01-2017
Estados Unidos de América
Mercados financeiros encerrados Segunda-feira, dia 16
 
Os mercados financeiros norte-americanos encontram-se encerrados para negociação na Segunda-feira, dia 16 de Janeiro devido ao feriado do Dia Martin Luther King.
13-01-2017
Metais - Energia - Moeda
Dólar caminha para a sua pior semana em dois meses
 
Metais: O ouro está em queda depois de ter atingido um máximo de sete semanas ontem com a depreciação do dólar.

Energia: O preço do petróleo segue em queda apesar do maior exportador de petróleo mundial, a Arábia Saudita, ter dito que cortou a produção de crude para menos de 10 milhões de barris por dia, além da meta com que se tinha comprometido.

Moeda: O dólar caminha lentamente para a sua pior semana em dois meses hoje com dados de comércio mais fracos do que o esperado da China a juntarem-se a sinais de que os investidores estão menos optimistas do que na pós-eleição de Trump.
13-01-2017
Europa
Fiat recupera e impulsiona sector automóvel europeu
 
O índice pan-europeu STOXX 600 soma 0,39% impulsionado pelo índice automobilístico que avança 1,6%.

As acções da Fiat Chrysler Automobiles sobem 3,99%, recuperando da queda de 16,40% da sessão anterior, que veio na sequência das acusações da Agência de Protecção Ambiental dos EUA de que a construtora de veículos tem ilegalmente ocultado o excesso de emissões de diesel.

No entanto, o seu CEO Sergio Marchionne disse ao jornal La Repubblica hoje que as acusações da EPA de que a Fiat tem violado as leis de emissões não terão qualquer impacto nas metas do plano de negócios da empresa.

Contudo, as acções da empresa de comunicação francesa Technicolor caem 18,22% que corresponde à sua pior perda diária, após o aviso sobre os seus lucro ter eliminado quase um quinto do seu valor.
13-01-2017
Millennium BCP
Calendário do aumento de capital
 
O BCP já apresentou ontem os detalhes da operação do aumento de capital:

• Acções ex-direito: 17 de Janeiro
• Negociação dos direitos: 19 a 30 de Janeiro
• Símbolo de negociação dos direitos: BCPS4
• Subscrição de direitos: 19 de Janeiro a 2 de Fevereiro
• Liquidação da Operação: 3 de Fevereiro
• Entrada das novas acções: 9 de Fevereiro

O Millennium bcp actualizou o seu "guidance" à luz do aumento de capital prevendo um "return on equity" de cerca de 10% em 2018, ano em que vê um potencial regresso à distribuição de dividendos com um "pay out ratio" igual ou superior a 40%, anunciou o banco. No final dos nove meses de 2016, o ROE do BCP foi negativo de -7,7%.
13-01-2017
Jerónimo Martins
Vendas preliminares de 2016 bateram expectativas dos analistas
 
A número dois do retalho nacional anunciou que as vendas preliminares de 2016 tiveram uma subida homóloga, superior ao previsto, de 6,5% em 2016, apoiadas no robusto crescimento da polaca Biedronka.

As vendas fixaram-se nos €14.621 mn acima das expectativas dos analistas €14.588 mn.
13-01-2017
Abertura de Mercados
Mercados previstos abrirem em leve alta aguardando resultados banca EUA
 
Os mercados europeus estão previstos abrirem em leve alta com os investidores a aguardarem pelo arranque da época de resultados do último trimestre do ano, com o JP Morgan, o Bank of America e o Wells Fargo entre os primeiros a mostrar contas. O sector bancário teve uma forte valorização desde a vitória de Trump e os analistas referem que esta pode ser uma boa altura para realizar mais-valias com as acções.

Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,80% e as praças asiáticas negociavam mistas depois dos dados do comércio internacional na China. As exportações chinesas caíram 6,1% em Dezembro, aquém da queda esperada pelos economistas de 3% enquanto as importações subiram 3,1% vs. 3% previstos.

As principais praças bolsistas norte-americanas encerraram em baixa pressionadas pela incerteza à volta de Trump. O dia foi marcado pela notícia da acusação da Environmental Protection Agency à italiana Fiat Chrysler por falsear as emissões de vários de seus carros a diesel. As acções fecharam com uma queda de 10,23%.

Dados Macroeconómicos:

• 02h45: China - Balança Comercial (Dezembro)
• 08h00: Espanha - Índice de Preços no Consumidor (Dezembro)
• 10h00: Zona Euro - Balança de Pagamentos (3º trimestre)
• 13h30: EUA - Índice de Preços no Produtor (Dezembro)
• 13h30: EUA - Vendas a Retalho (Dezembro)
• 15h00: EUA - Índice Confiança do Consumidor da Universidade de Michigan (Janeiro)
• 15h00: EUA - Stocks das Empresas (Novembro)

Eventos:

• 14h30: Discurso do Presidente da Fed da Filadélfia, Patrick Harker
• Possível actualização do "rating" de Portugal por parte da Moody's
• Possível revisão de "rating" de Itália pela DBRS

Resultados:

• EUA: Bank of America (11h45), PNC Financial Services (11h45), BlackRock (AA), JP Morgan (13h00) e Wells Fargo (13h00)

Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

• BCP afasta nacionalização e espera seduzir mercados (Negócios)
• Acordo com patrões em risco (Negócios)
• Saída de Isabel dos Santos do BPI dada como certa (Negócios)
• Taxa turística rende 11 milhões a Lisboa e já vai em Cascais (Negócios)
• Guerra na AR pode deixar patrões sem desconto na TSU (Público)
• Espanha tentou empurrar para Portugal impacto ambiental de aterro em Almaraz (Público)
• Líderes da CIP e da CAP exigem alternativas ao Governo face ao chumbo da descida da Taxa Social Única (Expresso)