OUTLOOK 2017




Após o inesperado resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos, os mercados convenceram-se a si próprios que no próximo ano o crescimento económico na maior economia mundial irá acelerar, impulsionado por estímulos fiscais, diminuição da regulação em alguns sectores, como o financeiro, e a moderação do discurso do novo presidente. Se as duas primeiras conclusões parecem consensuais, quanto à terceira, as nossas reservas são maiores, em particular no que diz respeito ao comércio internacional e à anunciada posição mais proteccionista dos Estados Unidos. A forma como a nova administração norte-americana abordar esta questão acarreta evidentes riscos para o crescimento económico global, com destaque para as economias emergentes.

Deste modo, crescimento económico moderado, taxa de inflação a subir e avaliações historicamente elevadas criam um cenário exigente tanto para as Acções como para as Obrigações, no próximo ano.



Fonte: Bloomberg. Rendibilidades até 30-Nov-16