O QUE É A ALOCAÇÃO DE ACTIVOS?

Os mercados financeiros oferecem um leque bastante alargado de alternativas de investimento, todas com diferentes características em termos de rendibilidade e risco. O processo pelo qual o investidor combina todas estas alternativas - acções, obrigações, imobiliário e aplicações sem risco - é conhecido por Alocação de Activos.

Este processo é função:
- dos objectivos definidos para o investimento
- da tolerância ao risco
- horizonte temporal do investimento

Na literatura financeira, a importância da Alocação de Activos encontra-se bem fundamentada. Por exemplo, segundo Ibbotson e Kaplan (2000), a Alocação de Activos é responsável por 90% da volatilidade da rendibilidade de uma carteira de investimento (ou fundo); por 40% da diferença de rendibilidade entre duas carteiras de investimento; e, cerca de 100% da rendibilidade de uma carteira de investimento. Mesmo para investidores que considerem apenas uma classe de activos (eg, acções), a alocação sectorial é o principal driver de performance, em detrimento do market timing e do stock picking.

Para melhor visualizar a importância desta questão, atente-se no seguinte mapa. Conforme é possível verificar, nenhuma classe de activos1 (das consideradas neste exemplo) mantém, com consistência, as melhores ou piores performances ao longo do período analisado. Anos de bons desempenhos são sistematicamente seguidos de anos de fracas (ou negativas) rendibilidades, facto que, conjugado com a tendência para os mercados valorizarem ao longo do tempo, sustenta a relevância de uma correcta Alocação de Activos na prossecução dos objectivos de investimento. Com efeito, a construção de uma carteira diversificada é condição fundamental para a optimização do binómio risco-retorno, na medida em que torna a carteira menos vulnerável ao desempenho diferenciado, ao longo dos vários ciclos económicos, das diferentes classes de activos.


RENDIBILIDADES ANUAIS POR CLASSES DE ACTIVOS, ENTRE JAN-90 E DEZ-16

1. Acções: MSCI Daily TR Net World Equity (Eur); Obrigações: Barclays Capital Global Aggregate Bond Index (Eur); Commodities: S&P GSCI Official Close Index TR (Eur); Imobiliário: FTSE EPRA/NAREIT Developed Real Estate Index (Eur); e Monetário: Euribor 1 mês.