PESQUISA DE FUNDOS

LISTA DE FUNDOS

 
    RENDIBILIDADERATINGRISCO 
 FUNDOVALOR UPCATEGORIA1 ANO3 ANOS5 ANOSMORNINGSTAR(1 ANO) 
Alves Ribeiro FPR 14,57EUR Cautious Allocation 17,09 7,74 16,72
Pictet Digital R EUR 229,78Acções Sector Tecnologia 33,55 17,93 18,59
BGF-WORLD HEALTHSCIENCE 30,70Acções Sector Saúde 17,71 14,52 20,33
Nordea 1 SICAV Stable Return Fund 15,46Mistos Moderados EUR 2,86 5,25 5,20
Pictet - Robotics - R EUR 116,28Acções Sector Tecnologia 42,31 - -
Schroder European Dividend Maximiser D 49,63Europe Equity Income 14,15 1,26 6,75
Pictet Security R EUR 172,92Acções Global Cap. Flexível 19,04 14,29 13,45
Invesco Pan European Equity Income Fund 14,35Europe Equity Income 15,54 5,39 12,23
Mirabaud - Global Strategic Bond H EUR 108,34Global Flexible Bond - EUR Hedged 6,97 1,77 -
Schroder ISF Global Dividend Maximizer 10,00Global Equity Income 19,86 1,78 5,03

DISCLAIMER

O investimento no organismo de investimento colectivo pode implicar a perda do capital investido. Alterações das taxas de câmbio entre divisas podem afectar o valor do investimento. As rendibilidades divulgadas representam dados passados, não constituindo garantia de rendibilidade futura porque o valor das unidades de participação pode aumentar ou diminuir em função do nível de risco que varia entre 1 (risco mínimo) e 7 (risco máximo). As rendibilidades apresentadas não incluem qualquer comissão de subscrição ou de resgate e estão líquidas de todas as comissões inerentes à instituição de investimento colectivo. As rendibilidades divulgadas para prazos superiores a 1 ano só seriam obtidas caso o investimento tivesse sido feito durante a totalidade do período de referência. Às rendibilidades obtidas nas instituições de investimento colectivo de sociedades gestoras internacionais ainda será retido na fonte à taxa em vigor sobre as mais valias realizadas aquando do resgate. Os prospectos e notas informativas complementares das instituições de investimento colectivo estão disponíveis, para consulta, em www.bancoinvest.pt ou aos balcões do Banco Invest, S.A.

Para o cálculo das rendibilidades são usadas as seguintes datas:
Data final: data da última cotação, de acordo com o indicado;
Data inicial:
- 3 Meses: mesma data, há três meses;
- Ano Corrente: 31 de Dezembro do ano anterior, ou dia útil imediatamente anterior;
- 1 Ano: mesma data, no último ano;
- 3 Anos: mesma data, há três anos;
- 5 Anos: mesma data, há cinco anos;
Para rendibilidades referentes a anos civis inteiros (2012, por exemplo), será usada como data final o dia 31 de Dezembro desse ano e como data inicial o dia 31 de Dezembro do ano anterior.
No caso de a data indicada não corresponder a um dia útil, será utilizado o dia útil imediatamente anterior.

SAIBA MAIS

O QUE É UM FUNDO DE INVESTIMENTO?
Um fundo de investimento é um instrumento financeiro colectivo que resulta das aplicações de vários investidores individuais, gerido por uma entidade especializada que as aplica em activos financeiros (acções, obrigações de dívida pública ou privada, derivados, moeda, fundos de investimento, depósitos, entre outros) procurando atingir uma determinada rendibilidade esperada. O fundo de investimento é considerado um património autónomo.
AS VANTAGENS DE INVESTIR EM FUNDOS DE INVESTIMENTO
Diminuir o risco através do investimento em carteiras diversificadas;
Reduzir os custos de transacção (corretagem) em comparação ao que um investidor teria de pagar para replicar a carteira do fundo;
Acesso a um maior conjunto de mercados, que de outra maneira não seriam acessíveis devido ao elevado montante necessário;
Simples investir no fundo de investimento;
Elevada liquidez;
Acesso a uma gestão profissionalizada.
CLASSIFICAÇÃO DE FUNDOS SEGUNDO OS SEUS ACTIVOS
FUNDOS DE ACÇÕES - Fundos que investem, maioritariamente (pelo menos 2/3 do total da carteira) em acções. Os fundos de acções podem ser divididos de acordo com a capitalização bolsista dos títulos que compõem a carteira.

FUNDOS DE ACÇÕES DE GRANDE CAPITALIZAÇÃO BOLSISTA - Fundos que investem, predominantemente, em acções com uma capitalização bolsista média superior a 11 mil milhões de dólares, de acordo com a Morning Star.

FUNDOS DE ACÇÕES DE MÉDIA CAPITALIZAÇÃO BOLSISTA - Fundos que investem, predominantemente, em acções com uma capitalização bolsista média entre 2.5 e 11 mil milhões de dólares, de acordo com a Morning Star.

FUNDOS DE ACÇÕES DE PEQUENA CAPITALIZAÇÃO BOLSISTA - Fundos que investem, predominantemente, em acções com uma capitalização bolsista média inferior a 2.5 mil milhões de dólares, de acordo com a Morning Star.
CLASSIFICAÇÃO DE FUNDOS DE ACORDO COM O SEU ESTILO
FUNDOS DE ACÇÕES DE CRESCIMENTO (GROWTH) - Fundos que investem em acções de empresas que se encontram numa fase de expansão, com crescimento de earnings esperado acima da média de mercado.

FUNDOS DE ACÇÕES DE VALOR (VALUE) - Fundos que investem em acções de empresas que o gestor considera estarem a ser negociadas a um preço abaixo do seu valor de mercado.

FUNDOS DE ACÇÕES BLEND - É um fundo de acções que combina os dois estilos anteriores (growth e value).

FUNDOS DE OBRIGAÇÕES - Fundos que são compostos, maioritariamente, por obrigações e possuem um risco inferior aos fundos de acções. Em termos de rendibilidade potencial é, igualmente, inferior aos fundos de acções.
CLASSIFICAÇÃO DE FUNDOS EM FUNÇÃO DA QUALIDADE CREDITÍCIA
FUNDOS DE OBRIGAÇÕES DE INVESTMENT GRADE - Fundos que investem em emissões de elevada qualidade creditícia (superior a notação de BBB, de acordo com a agência de rating da Standard & Poor's).

FUNDOS DE OBRIGAÇÕES DE HIGH YIELD - Fundos que investem em emissões de rating de crédito inferior (abaixo da notação de BBB, de acordo com a agência de rating da Standard & Poor's). Tipicamente as obrigações High yield oferecem uma taxa de juro superior às de Investment grade dado que suportam um risco adicional.

FUNDOS DE OBRIGAÇÕES DE TAXA FIXA - Como o próprio nome indica são fundos compostos, maioritariamente, por obrigações de taxa fixa, que se caracterizam por gerar fluxos iguais ao longo da respectiva maturidade.

FUNDOS DE OBRIGAÇÕES DE TAXA VARIÁVEL - Fundos compostos, maioritariamente, por obrigações cujo cupão é indexado a uma taxa de juro de referência, permitindo minimizar o risco de flutuação de taxas de juro, dado que os cupões são revistos periodicamente e ajustado às taxas de juro de mercado.

FUNDOS DE TESOURARIA OU MONETÁRIOS - São fundos de baixo risco com uma rendibilidade equivalente às taxas de juro dos mercados monetários. A maioria do seu património é composto por aplicações no mercado interbancário de curto prazo com elevada liquidez (depósitos a prazo, papel comercial, bilhetes do Tesouro, etc).

FUNDOS MISTOS - Fundos que conjugam as características dos fundos de obrigações e de acções. Investem de forma diversificada em acções, obrigações ou instrumentos de mercado monetário com limites previamente definidos para o peso em cada classe de activos.

FUNDOS FLEXÍVEIS - Fundos que investem em acções e obrigações ou instrumentos de mercado monetário e não tem limites previamente definidos para o peso em cada classe de activos.

FUNDOS DE FUNDOS - A carteira destes fundos é investido predominantemente em unidades de participação de outros fundos de investimentos.
FISCALIDADE
Os rendimentos de unidades de participação de fundos domiciliados em Portugal obtidos por sujeitos passivos nacionais, fora do âmbito de uma actividade comercial, industrial ou agrícola são objecto de tributação, à taxa especial de 28%. À alienação onerosa de unidades de participação, bem como ao resgate é aplicável o regime de mais-valias, mediante tributação em sede de IRS à taxa especial de 28%.
No que respeita aos fundos de investimento nacionais, estes são tributados em sede de IRC, à taxa de 21% sobre a matéria colectável, não sendo, para esse efeito, considerados os rendimentos de capitais, os rendimentos prediais, as mais-valias, os gastos ligados a estes rendimentos, bem como os rendimentos e gastos relativos a comissões de gestão e outras comissões que revertam para os fundos de investimento.

No caso de fundos de investimento estrangeiros, terá lugar tributação, em sede de IRS, à taxa de 28%, no caso de sujeitos passivos nacionais, sobre os rendimentos distribuídos das unidades de participação, bem como em sede de mais-valias, no caso de alienação onerosa ou resgate das unidades de participação.

O presente texto constitui um resumo do regime fiscal aplicável e não dispensa a consulta da legislação aplicável.
RISCO PARA O INVESTIDOR
O valor do capital investido em instituições de investimento colectivo pode flutuar, em função da avaliação dos activos que integram o seu património, e mesmo não permitir recuperar o montante inicialmente investido. Alterações das taxas de câmbio entre divisas podem afectar o valor do investimento.

As rendibilidades passadas não são garantia de rendibilidades futuras e são calculadas com base no valor patrimonial das unidades de participação ou acções das instituições de investimento colectivo.

O valor das unidades de participação pode aumentar ou diminuir em função do nível de risco que varia entre 1 (risco mínimo) e 7 (risco máximo). As rendibilidades apresentadas não incluem qualquer comissão de subscrição ou de resgate e estão líquidas de todas as comissões inerentes à instituição de investimento colectivo.

As rendibilidades divulgadas para prazos superiores a 1 ano só seriam obtidas caso o investimento tivesse sido feito durante a totalidade do período de referência.

Às rendibilidades obtidas nas instituições de investimento colectivo de sociedades gestoras internacionais ainda será retido na fonte à taxa em vigor sobre as mais valias realizadas aquando do resgate.

Os prospectos e notas informativas complementares das instituições de investimento colectivo estão disponíveis, para consulta, em www.bancoinvest.pt ou aos balcões do Banco Invest, S.A.