• Nova Era na Internet
    Fonte: Banco Invest
    fb


    A Comissão Europeia aprovou hoje no Parlamento Europeu a nova lei de direitos de autor, considerando que as novas regras "adequadas à era digital" trazem o "equilíbrio certo" ao sector na União Europeia.

    Para a lei entrar em vigor na União, terá agora de haver uma votação final no Conselho da UE, onde estão representados os Estados-membros. Os países da UE têm, depois, dois anos para transpor a directiva. 

    O texto aprovado hoje inclui o controverso artigo 17 (o antigo artigo 13), que dá aos autores a possibilidade de cobrar pelos conteúdos disponibilizados pelas plataformas online, como o YouTube, mesmo que o conteúdo tenha sido carregado pelos utilizadores. Também inclui o artigo 15 (o antigo artigo 11), que permitirá às empresas de comunicação social cobrarem pelos links em agregadores, como o Google News, e nas redes sociais.
  • Brexit: Quais as alternativas?
    Fonte: ING
    bre2

    Theresa May não conseguiu os apoios necessários para uma terceira votação sobre a proposta de acordo de saída com a UE. 

    Finalmente, a Câmara dos Comuns decidiu ontem estabelecer uma nova votação sobre o Brexit para amanhã. 

    O Parlamento votará sobre sete alternativas não vinculativas:

    1) Segundo referendo;
    2) Revogar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa,
    3) Mercado único sem união aduaneira;
    4) União aduaneira permanente;
    5) Mercado único + União aduaneira;
    6) Proposta de saída apresentada por May;
    7) Acordo de livre comércio

    Segundo o ING, o cenário mais provável será opção 4), União aduaneira permanente que será um Brexit mais "soft" que exclui movimento livre.

    brexit
  • Mercados europeus na linha de água com Brexit fora das mãos de Theresa May
    Fonte: Banco Invest
    260319.

    Os mercados europeus abriram na linha de água, após a Câmara dos Comuns ter aprovado ontem, por 329 votos contra 302, uma resolução que atribuiu ao Parlamento o controlo do processo do Brexit. Amanhã, serão votadas várias alternativas para resolução do Brexit, propostas pelos membros do Parlamento que inclui um segundo referendo, entre outras opções possíveis.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 recuperou das quedas de ontem, fechando a subir 2,15% mas as praças chinesas encerraram no vermelho depois da Samsung ter reduzido as suas previsões para os lucros deste trimestre devido à queda dos preços dos semicondutores e de displays.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram na linha de água penalizadas pelo sector tecnológico após a Apple não ter surpreendido os investidores na apresentação dos seus quatro novos serviços.

    Dados Macroeconómicos:

     07h00: Confiança dos Consumidores (Abr)

     07h45: Indicadores de Confiança (Mar)

     07h45: PIB (4º Tri)

     11h00: PIB e agregados (4.º Tri)

     11h00: Procedimento dos Défices Excessivos

     12h30: Casas em início de Construção (Fev)

     12h30: Licenças de Construção (Fev)

     13h00: Índice Preços Casas S&P/CaseShiller (Jan)

     14h00: Richmond Fex Index (Mar)

     14h00: Confiança dos Consumidores (Mar)


    Eventos:

     Discursos de vários membros da Fed: Rosengren (00h30), Harker (07h45), Evans (10h30) e Daly (19h05)


    Resultados:

     Deutsche Wohnen, Ferguson (07h00), Orpea (DF)

     McCormick & Co, IHS Markit (10h00), Carnival


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

      Mota-Engil paga dividendo de 7,4 cêntimos

     Venda de casas perde fôlego no final do ano

     Apple aposta nos serviços. Começa com vídeo, jogos, notícias e crédito

     Europa não está preparada para uma nova crise

     Função Pública: Perto de 100 mil pensões terão de ser revistas

     "Brexit": Theresa May prefere saída sem acordo do que com um mau acordo

     Banca: Caixa já injectou 230 milhões de euros no Fundo de Resolução

     Novo Banco quer fechar venda de créditos 'Projecto Nata 2' até fim de Junho

     Mercadona acorda salário de 1300 euros e medidas sociais

  • Recompras atingem recorde anual de $806,4 mil mn em 2018
    Fonte: S&P Dow Jones
    buybacks

    As recompras das empresas norte-americanas atingiram um recorde pelo quarto trimestre consecutivo. No quarto trimestre de 2018, as recompras atingiram $223 mil mn, um aumento de 62,8% em relação ao quarto trimestre em 2017.
      
    Em termos anuais, as recompras atingiram um recorde de $806,4 mil mn em 2018, 55,3% acima do valor de 2017 e 36% acima do recorde anterior de $589,1 mil mn em 2007.

    Quase todos os membros do índice S&P 500 fizeram recompras (444 de 500 empresas). A Apple foi a empresa que mais recompras fez em 2018, seguido da Oracle e depois a Wells Fargo.

    apple
  • 4,3,2,1... É hora de espectáculo!
    Fonte: Apple
    apple

    Hoje pelas 17h00, todas as atenções estarão voltadas para o evento da Apple onde deverá ser revelado o seu plano de serviços, nomeadamente video-streaming e de subscrição de revistas e notícias.

    É o dia que poderá transformar a empresa em fornecedora de serviços.

    Este são os serviços que poderão ser anunciados:

    1. Apple Studios
    2. Apple News Premium
    3. Apple Wallet + Goldman Sachs
    4. Apple Games
  • QE2 inevitável?
    Fonte: Algebris
    qe3

    Hoje Benoît Coeuré, membro do Conselho do Banco Central referiu que a política monetária da Zona Euro ainda tem espaço para agir e ainda não atingiu o seu limite.

    Ardo Hansson, membro do BCE também afirmou hoje que a desaceleração económica da Zona Euro poderá continuar a médio prazo e que o programa de compras pelo Banco Central Europeu poderá ser reiniciado se houver um grande choque.
  • Confiança dos empresários melhorou inesperadamente em Março
    Fonte: Danske Bank
    ifo

    A confiança dos empresários na Alemanha melhorou inesperadamente em Março, mostrou uma sondagem da Ifo hoje.

    O Ifo Economic Institute, revelou que o seu índice de clima de negócios, com base numa sondagem mensal a cerca de 7.000 empresas, subiu para 99,6 em Março, de 98,5 em Fevereiro, superando as expectativas dos economistas de 98,5.
  • A curva de rendimento nos EUA inverteu, e agora?
    Fonte: Thomson Reuters

    yield

    A curva de rendimento compara as taxas de juros em diferentes vencimentos, geralmente o "spread" entre os juros de títulos de dois e dez anos. Os rendimentos de dez anos geralmente reflectem as perspectivas de crescimento e inflação do mercado, enquanto a extremidade curta da curva está vinculada principalmente a expectativas de mercado relativas a taxas de juros da Reserva Federal.

    Na Sexta-feira, a curva de rendimentos dos títulos dos EUA inverteu, com a taxa de curto prazo (3 meses) em níveis mais elevados do que no longo prazo (10 anos) pela primeira vez desde 2007.

    As últimas 9 recessões nos Estados Unidos começaram com uma curva de rendimento invertida. 

    recession

    Se a história repetir-se, uma recessão poderá começar nos próximos 8 a 24 meses.
  • Bolsas europeias em queda com receios de recessão
    Fonte: Banco Invest
    250319

    As bolsas europeias abriram em queda, devido aos receios dos investidores em relação à maior economia do mundo. A taxa de juro das obrigações EUA a 3 meses superou a "yield" das obrigações a 10 anos pela primeira vez desde 2007. Historicamente, uma curva de rendimento invertida sinaliza uma recessão que se está a aproximar. 

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 atingiu um mínimo de cinco semanas fechando a cair 3,01% e as praças chinesas também encerraram com perdas.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no vermelho penalizados sobretudo pelos receios de abrandamento económico mundial, depois da leitura mais fraca do que o esperado da actividade industrial medida pela Markit, tanto na Europa como nos EUA. Hoje a Apple revela os seus novos produtos. A empresa está a tentar criar alternativas ao iPhone, procurando novas fontes de receitas. Logo, aguarda-se novidades no serviço de "streaming" da Apple.
     
    Dados Macroeconómicos:

     08h00: Índice de Preços ao Produtor (Fev)

      09h00: Índice Ifo de clima de negócios e as expectativas de negócios (Mar)

     11h00: Índice de Preços da Habitação (4º Tri)

     12h30: Índice Actividade Industrial Fed Chicago (Fev)

     14h30: Índice Actividade Industrial Fed Dallas (Mar)

     23h50: Índice de Preços ao Produtor (Fev)


    Eventos:

     Conferência "Portugal: Reforma e crescimento na Zona Euro", com Carlos da Silva Costa, governador do Banco de Portugal, Poul Thomsen, director do Departamento Europeu no FMI, Mário Centeno, presidente do Eurogroupo, entre outros

     Discursos de vários membros do BCE: Costa (09h15) e Coeure (09h30)

     Discursos de vários membros da Fed: Evans (05h00) e Harker ((10h00)

     Evento da Apple


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Segundas casas no mesmo concelho arriscam mais IMI

     Grupo EDP penalizou rentabilidade do PSI-20

     Espanholas ganham concursos para obras na ferrovia com preços baixos

     PSD dispara em dois meses e aperta PS

     Costa quer que novo comissário europeu seja Pedro Marques

     "Não tenho dúvidas de que haverá condenações no caso BES" - José Maria Ricciardi

     Mueller sem provas de que Trump conspirou a Rússia

     Brexit: May sob pressão no regresso do acordo ao Parlamento

     António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

  • 25 a 29 de Março 2019
    Fonte: Banco Invest
    agenda

    O principal evento da próxima semana será o da Apple onde se aguarda o anúncio do seu serviço de streaming. A Lyft também faz a sua estreia na bolsa de valores de Nova Iorque no dia 29 de Março. 

    A semana será marcada por vários discursos de membros, tanto do Banco Central Europeu com da Reserva Federal mas o mais importante será o de Mario Draghi, presidente do BCE no dia 27.

    Em termos de indicadores macroeconómicos, o destaque vai para a divulgação do PIB nos Estados Unidos, que deverá desacelerar de 2,6% para 2,4%.

    Estes são os principais eventos:

    Segunda-feira, 25 de Março 2019

    • 09h00: Índice Ifo de clima de negócios e as expectativas de negócios da Alemanha
    • Discursos de vários membros do BCE: Costa (09h15) e Coeure (09h30)
    • Discursos de vários membros da Fed: Evans (05h00) e Harker ((10h00)
    • Evento da Apple 

    Terça-feira, 26 de Março 2019

    • PIB França (07h45) e Portugal (11h00)
    • Discursos de vários membros da Fed: Rosengren (00h30), Harker (07h45), Evans (10h30) e Daly (19h00)

    Quarta-feira, 27 de Março 2019

    • 12h30: Balança Comercial EUA 
    • Discursos de vários membros do BCE: Drgahi (08h00), Nowotny (08h00), Praet (08h45), Lautenschlaeger (10h00)
    • 21h30: Discurso de George, membro da Fed

    Quinta-feira, 28 de Março 2019

    • Inflação: Espanha (08h00), Alemanha (13h00) e Japão (23h30)
    • 12h30: PIB EUA
    • 09h10: Discurso de Guindos, membro do BCE
    • Discursos de vários membros da Fed: Quarles (11h15), Clarida (13h30), Bowman (14h00), Williams (17h15) e Bullard (21h20)

    Sexta-feira, 29 de Março 2019

    • Inflação: França (07h45), Portugal (09h30) e Itália (10h00) 
    • PIB: Espanha (08h00), Reino Unido (09h30)
    • 08h00: PIB Espanha
    • 12h30: Rendimentos e Gastos Pessoas EUA
    • 14h00: Vendas de Casas Novas EUA
    • Entrada em bolsa das acções da Lyft

    Para consultar a agenda semanal, aceda ao link abaixo: 

    Agenda Semanal - 25 a 29 de Março 2019
  • 2019, o ano dos IPOs dos "decacórnios"
    Fonte: Statista
    lyft

    Aguarda-se que 2019 será o ano com maior número de ofertas públicas iniciais (IPO) desde 1999. A maioria das empresas são até consideradas "decacórnios" em vez de unicórnios porque valem mais de $10 mil mn.

    As acções da Lyft entram na bolsa de valores de Nova Iorque no dia 29 de Março. A plataforma electrónica de transporte quer vender 30,8 milhões de acções, com um preço entre $62 e $68 cada, avaliando a empresa em $18,5 mil mn.

    A Uber está avaliada em $120 mil mn e deverá entregar a documentação necessária para o IPO no próximo mês. O Pinterest também está a preparar-se para uma oferta pública inicial já no princípio de Abril. 
  • Actividade industrial em mínimos de 6 anos
    Fonte: IHS Markit
    pmi

    O índice PMI composto da Zona Euro, que mede a actividade no sector industrial e de serviços, caiu de 51,9 em Fevereiro para 51,3 em Março, segundo a IHS Markit.

    A indústria é o sector com mais dificuldades. O indicador da indústria recuou para 47,6 pontos de 49,3 no mês anterior, o que corresponde ao mínimo de 71 meses.
  • "Brextension" impulsiona bolsas europeias
    Fonte: Banco Invest
    220319
    Os mercados europeus abriram em alta, depois da União Europeia ter decidido adiar o Brexit até 22 de Maio, mas com uma condição, Theresa May terá que convencer o parlamento britânico a aceitar o acordo negociado entre Bruxelas e o Reino Unido.

    Hoje o destaque será para a publicação dos índices PMI na Zona Euro e EUA. Na Zona Euro, o crescimento da actividade económica atingiu máximos de três meses, em Fevereiro.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,09% após a divulgação da inflação nipónica. Em Fevereiro, a inflação "core" subiu 0,70%, muito aquém da meta de 2% estabelecida pelo Banco do Japão. As bolsas chinesas encerraram com ganhos.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no verde impulsionadas pelas acções da Apple, que dispararam 3,68% para $195,09, passando a ser a empresa mais valiosa do mundo novamente, com a antecipação do lançamento do seu serviço de streaming no dia 25 de Março. A Levi Strauss fez um IPO das suas acções e subiram também 35%.

    Dados Macroeconómicos:

     00h30: PMI Indústria (Mar)

     05h00: Leading e Coincident Index (Jan)

     09h00: Índice PMI Industria e Serviços (Mar)

     13h45: Índice PMI Industria e Serviços (Mar)

     14h00: Vendas de Casas Usadas (Fev)

     14h00: Stocks e Vendas dos Grossistas (Jan)

     18h00: Saldo Orçamental (Fev)


    Eventos:

     Reunião do Conselho Europeu em Bruxelas, na Bélgica

     Agências de rating DBRS e S&P avaliam o "rating" de Espanha


    Resultados:

     Smiths Group (07h00)

     Tiffany


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Câmaras não cobram nada às operadoras de trotinetes

     PPR do Estado já só tem 9.000 subscritores e metade não investe

     Herdeiras do BPN com buraco de cinco mil milhões nas contas

     PSD vai pedir auditoria ao período pós-resolução no Nova Banco

     Retalho: Paulo Azevedo quer que irmã dê escala global à Sonae

     Venezuela tenta retirar 1,5 mil milhões do Novo Banco

     TAP tentou conter prejuízos abaixo dos 150 milhões de euros

     "Renováveis são uma grande vaca leiteira para o Estado" - António Sá da Costa, presidente da Associação Portuguesa de Energias Renováveis

     Próximas semanas serão cruciais para salvar o país de seca severa

     "Pechinchas" do Novo Banco incluem imóveis de 70 mil euros

  • Guerra do streaming vai dominar 2019
    Fonte: Banco Invest
    apple

    Os serviços de streaming são o novo paradigma no consumo de televisão porque permite aos consumidores controlar todo o seu conteúdo. 

    A Netflix surgiu em 1997 como um serviço de entrega de DVDs a casa. Actualmente é o maior serviço de streaming a nível mundial. Em 2019 aguarda-se a chegada de dois concorrentes fortes: Apple e Disney.

    No dia 25 de Março aguarda-se que a Apple apresente o seu serviço de streaming com a Apple TV. 

    A Disney criou o maior grupo de entretenimento do mundo após a compra da 21st Century Fox e a sua grande jogada agora também será o lançamento do serviço de streaming Disney +.

    Quem vai vencer esta batalha?
  • Regressa à bolsa após uma ausência de 34 anos
    Fonte: Levi
    levi

    A Levi Strauss realizou a sua oferta pública de venda a um preço por acção de $17, superior ao intervalo de preços $14 a $16 definido no prospecto. 

    A capitalização bolsista da Levi Strauss é de $6,55 mil mn. A empresa emitiu 36,7 milhões de acções. O ticker das acções da empresa será "LEVI".

    A empresa foi fundada em 1853 e vai financiar-se aos mercados pela segunda vez, depois de o ter feito em 1971. Na altura, foi um dos maiores IPOs de todos os tempos. Contudo, a queda dos lucros e a descida do preço das acções levaram os descendentes de Levi Strauss a recompraram as acções e tirarem a empresa de bolsa em 1984.
  • Fabricantes de semicondutores em alta mas banca penalizada
    EUR210319

    • STMicroelectronic (STM FP)/Infineon (IFX GY): A empresa americana Micron Technology apresentou lucros por acção de $1,71 acima dos $1,65 esperados pelos analistas e receitas de $5,84 mil mn vs. $5,83 mil mn previstos com uma perspectiva optimista para o sector.

    • Sonae SGPS (SON PL): Em 2018 o resultado líquido anual foi €222 mn, um aumento de 33,7% face ao ano anterior, mas aquém das previsões do CaixaBank BPI de €284 mn. As receitas aumentaram 8,1% para €5.951 mn acima dos €5.894 mn estimados pelo CaixaBank BPI. O EBITDA aumentou 8,40% para €372 mn em linha com o esperado de €374 mn. O Conselho de Administração irá propor um aumento de 5% do dividendo para €0,0441 por acção.

    • HeidelbergCement (HEI GY): A segunda maior fabricante de cimento do mundo apresentou um resultado líquido de €1,15 por acção em linha com o esperado mas as condições meteorológicas adversas nos Estados Unidos penalizaram os seus lucros.

    • Pharol (PHR PL): A brasileira Oi escolheu um novo líder da Unitel e tirou poderes a Isabel dos Santos. Miguel Geraldes será o novo director-geral da operadora angolana.

    • Skanska (SKAB SS): O grupo de construção sueco anunciou que não atingirá a meta de margens operacionais.

    • Next (NXT LN): A empresa apresentou um lucro anual antes de impostos de £722,9 mn aquém dos £724,7 mn esperados. As receitas ascenderem aos £4,22 mil mn, em linha com o previsto pelos analistas. A Next reiterou as projecções de crescimento de 1,7% nas receitas em 2020 e queda de 1,1% nos lucros antes de impostos no mesmo ano. 

    • EssilorLuxottica (EL FP): O principal accionista e presidente executivo acusou o vice-presidente executivo do grupo franco-italiano de uma tomada de poder. 
  • Mercados europeus em queda em dia de Cimeira Europeia
    Fonte: Banco Invest
    210319

    Os mercados europeus abriram em queda, no dia que decorre a Cimeira Europeia, onde os líderes dos 27 países da UE deverão discutir com Theresa May o seu pedido, submetido ontem, para prolongar o prazo de Brexit até ao dia 30 de Junho. O Banco de Inglaterra e o Banco Nacional Suíço anunciam hoje a sua decisão de política monetária, não esperando alterações nos juros.  

    Na Ásia, a Bolsa de Valores de Tóquio encontra-se encerrada hoje devido ao feriado Equinócio da Primavera. As praças chinesas encerraram mistas depois de Trump ter dito ontem que as tarifas aduaneiras adicionais sobre produtos oriundos da China irão manter-se até que Pequim mostre estar a cumprir um acordo comercial que ainda nem está selado.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no vermelho depois da Reserva Federal ter mantido as taxas directoras entre 2,25% e 2,50%, tal como previsto, e anunciado que não haverá mais subidas de taxas de juro em 2019 devido à desaceleração da economia dos EUA e a nível global.

    Dados Macroeconómicos:

     09h00: Balança Comercial (Jan)

     09h30: Vendas a Retalho (Fev)

     12h30: Pedidos Subsídio Desemprego

     14h00: Indicadores Económicos Avançados (Fev)

     15h00: Confiança do Consumidor (Mar)

     23h30: Inflação (Fev)


    Eventos:

     Bolsa de Valores de Tóquio encerrada devido ao feriado Equinócio da Primavera

     08h00: Apresentação da supervisora do BCE, Andrea Enria, do Relatório Anual do BCE sobre as actividades de supervisão de 2018 à Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu

     08h30: Decisão da taxa de juro do Banco Nacional Suíço

     Cimeira UE em Bruxelas (até dia 22)

      12h00: Decisão da taxa de juro do Banco de Inglaterra

     15h00: Conferência de Imprensa sobre resultados anuais da Sonae

    Resultados:

     Sonae SGPS (AA), REN (DF)

     Enel, Wendel (AA), HeidelbergCement, Next

     Carnival, Darden Restaurants (AA), Cintas, Conagra Brands (11h30), NIKE (20h15)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Bosch vai contratar mais 500 trabalhadores

     Oi tira poderes a Isabel dos Santos na Unitel

     Carreiras curtas ameaçam baixar pensões dos jovens

     Fundo de Resolução já pagou 466 milhões ao Estado pelo BES e Banif

     Centeno leva novo brilharete orçamental para as eleições

     Governo "desaconselhou" uso de telemóveis da Huawei no Estado

     Portugal é o país que penaliza mais a reforma antecipada

     May insite em adiar "Brexit" e culpa deputados pelo impasse

  • Será que Powell vai continuar "paciente"?
    Fonte: Natixis
    fed

    O mercado antecipa que a Reserva Federal mantenha as taxas directoras inalteradas hoje, colocando o foco principal dos investidores no chamado “dot plot”, que tenta antecipar o caminho futuro dos juros.

    Na reunião de Dezembro, 2 membros não antecipavam qualquer subida das taxas de juro, 4 membros estimavam um aumento, 5 membros dois aumentos e 6 três aumentos. Logo em média, os membros da FED antecipavam dois ou mais aumentos das taxas directoras.

    Aguarda-se hoje que os membros reduzam as suas perspectivas, fazendo com que em média, os membros do Banco Central estimem entre um a dois aumentos das taxas directoras em 2019. 

    Para 2020, espera-se um corte nas taxas directoras depois de mais uma subida este ano, provavelmente em Junho.
  • Wall Street em leve queda aguardando discurso de Powell
    Fonte: Banco Invest
    US200319
    • General Mills (GIS): A empresa apresentou resultados ajustados de $0,83 por acção no trimestre fiscal acima dos $0,69 esperados. As vendas líquidas foram $4,20 mil mn ligeiramente superando as previsões de $4,19 mil mn. A General Mills antecipa resultados ajustados por acção estáveis ou a crescerem no máximo 1%, quando anteriormente tinha projeVtado uma quebra até 3%.

    • Alphabet (GOOG): A Google foi multada em $1,7 mil mn pela União Europeia devido a abuso de posição dominante e é acusado de bloquear rivais de publicidade. A Comissão Europeia, que disse que a multa corresponde a 1,29% do volume de negócios da Google em 2018,

    • Walt Disney (DIS): A Disney concluiu a compra da Fox. Os accionistas da Fox vão receber $38 por cada acção detida, montante a encaixar em dinheiro ou em acções da Walt Disney.

    • Farfetch (FTCH): Terminou o periodo de "lockup" para a venda de acções da IPO.

    • FedEx (FDX): A empresa apresentou um lucro trimestral por acção de $3,03 abaixo dos $3,12 esperados pelos analistas. As receitas foram $17 mil mn também aquém dos $17,66 mil mn previstos. A FedEx reduziu as suas projecções para este ano.
  • "Short Europe" é a aposta dos gestores de fundos em Fevereiro
    Fonte: IHS Markit
    shorteurope

    Segundo o inquérito junto dos gestores globais da BAML, posições curtas em acções europeias foi a estratégia mais popular no mês passado, substituindo posições longas em mercados emergentes que ocupou o primeiro lugar durante um único mês.

    O retalho é o sector com mais posições curtas neste momento.

    shorts

    A Marks & Spencer está no pódio das acções mais vendidas da Europa. Casino Guichard e Kingfisher também são alvos dos vendedores a descoberto.

    short
  • Índice DAX penalizado pelas acções da BMW e Bayer
    Fonte: Banco Invest
    eur200319

    • Bpost (BPOST BB): A empresa responsável pela distribuição do correio nacional e internacional na Bélgica reportou um EBITDA trimestral de €206,4 mn superando os €194,6 mn previstos pelos analistas. As receitas foram €1,13 mil mn também acima dos €1,06 mil mn esperados. A Bpost reduziu as suas perspectivas para este ano.

    • Hermes International (RMS FP): O resultado líquido anual da empresa de bens de luxo francesa, cresceu 15% numa base homóloga, para €1,41 mil mn. Os resultados operacionais recorrentes foram €2,05 mil mn superando os €2,03 mil mn esperados. A Hermes reiterou os objectivos de crescimento de receitas no médio prazo e definiu um dividendo de €4,55 por acção.

    • Energias de Portugal (EDP PL): A hedge fund Elliott Management, que possui 2,9% da EDP, pretende continuar a pressionar a EDP para vender os seus activos brasileiros, alegando ser a melhor forma de criar valor aos accionistas. 

    • Navigator (NVG PL): A empresa arrancou com um projecto na Galiza para gerir área florestal por via do arrendamento aos proprietários devido às restrições à plantação de eucalipto em Portugal.

    • BMW (BMW GY): A fabricante de automóveis alemã espera uma queda de mais de 10% em 2019 e anunciou que aumentaria o corte de custos em antecipação a um ano difícil, depois da queda de 7,9% no lucro operacional de 2018. Até o final de 2022, espera-se poupanças de mais de €12 mil mn.

    • Bayer (BAYN GY): A empresa farmacêutica e química alemã perdeu a primeira fase de um caso em tribunal em que foi determinado que o herbicida Roundup causa cancro.