• Lucros superam $100 mil mn pela primeira vez
    Fonte: Bloomberg
    banks
    Os seis maiores bancos norte-americanos lucraram $111 mil mn em 2018 pela primeira vez.

    JPMorgan Chase & Co e o Bank of America tiveram anos recorde enquanto o Goldman Sachs e o Citigroup apresentaram os maiores lucros desde a crise financeira.
  • Riscos Globais em 2019
    Fonte: WEF
    risks

    De acordo com o relatório do "World Economic Forum" (WEF), que reúne os resultados anuais do Inquérito Global de Percepção de Risco de aproximadamente 1.000 especialistas e decisores, 88% dos inquiridos prevê um deteriorar das regras e acordos comerciais multilaterais.

    Para 85% dos inquiridos pelo WEF, é ainda esperado um aumento dos riscos de "confrontos políticos entre as grandes potências" durante 2019.

    Riscos ambientais continuam a dominar o relatório. Este ano, os riscos ambientais foram responsáveis por três dos principais cinco riscos por probabilidade e quatro por impacto.

    WEF
  • Mercados europeus positivos aguardando moção de censura a Theresa May
    Fonte: Banco Invest
    160119

    Os mercados europeus abriram positivos com Theresa May a enfrentar hoje, ao final da tarde, uma moção de censura apresentada pelo Partido Trabalhista, depois de ontem, ter visto ser chumbado no parlamento britânico o acordo entre o Reino Unido e UE para o Brexit. Se a moção for aprovada então o Parlamento terá 14 dias para propor uma nova solução de governo, que poderá passar pela realização de novas eleições que poderão originar um novo referendo ou a extensão do prazo do artigo 50.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 0,55% e as praças chinesas encerraram em leve alta animadas pelas medidas anunciadas ontem, pelas autoridades chinesas, para estabilizar a desaceleração da economia chinesa.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no verde impulsionadas pelo sector tecnológico, com as acções da Netflix a dispararem 6,52% depois de anunciar que vai subir os seus preços nos Estados Unidos. As acções da Alphabet valorizaram 3,33 e as da Apple subiram 2,05%.

    Dados Macroeconómicos:

     07h00: Índice de Preços ao Consumo (Dez)

     09h30: Índice de Preços ao Consumo (Dez)

     10h00: Índice de Preços ao Consumo (Dez)

     13h30: Índice de Preços das Importações (Dez)

     15h00: Índice Mercado Imobiliário NAHB (Jan)

     15h30: Reservas Semanais de Energia

     19h00: "Beige Book" da Fed


    Eventos:

     08h40: Discurso de Nowotny, membro do BCE

     10h30: IGCP realiza leilão de bilhetes do Tesouro a curto prazo

     23h30: Discurso de Kashkari, membro da Fed


    Resultados:

     BlackRock (AA), Bank of New York Mellon (11h30), PNC Financial Services Group (11h45), Bank of America (11h45), Goldman Sachs Group (12h30)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     PSI-20 tem melhor arranque de ano desde 2014

     Chumbo deixa Brexit à deriva

     Indemnizações por atrasos complicam contas da TAP

     Taxa turística paga expansão da FIL prometida à Web Summit

     Produção automóvel bate recorde de 1998 à boleia do T-Roc

     Economias da China e Alemanha abrandam

     228 empresas portuguesas dependem de exportações para o Reino Unido

     May e Brexit: Incerteza é a única certeza

     Maioria chumba acordo mas segura May

     Apreensões de medicamentos ilegais batem recordes

     Brexit chumbado. E agora? Portugal em alerta

     Brexit: Hotéis estudam pacotes para travar fuga de turistas britânicos

  • Receios em relação à alavancagem empresarial em máximos de 10 anos
    Fonte: BofAML
    ml3
    Os receios em relação à alavancagem empresarial excessiva estão em máximos de 10 anos, segundo um inquérito a gestores de fundos globais pela Bank of America Merrill Lynch em Janeiro. 48% dos inquiridos acha que os balanços das empresas têm alavancagem excessiva.

    A guerra comercial constitui o principal risco pelo oitavo mês consecutivo, no entanto, reduziu consideravelmente em Janeiro.

    ml2
    "Long USD" continua a ser a estratégia mais popular entre os gestores de fundos globais à frente das tecnológicas pelo segundo mês consecutivo.

    longusd
    52% dos inquiridos prevêem que os lucros globais se deteriorarão no próximo ano.

    As expectativas de crescimento do PIB continuam em queda com 60% dos inquiridos a preverem que o crescimento global vai enfraquecer nos próximos 12 meses. No entanto, só 14% dos gestores esperam uma recessão económica global em 2019.
  • Crescimento PIB em 2018 é o mais fraco em 5 anos
    Fonte: Bloomberg
    gdp

    A economia alemã cresceu 1,5% em 2018, a taxa mais fraca em cinco anos e uma clara desaceleração em relação ao ano anterior. 

    Os economistas esperavam um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,5% no ano passado, após uma subida de 2,2% em 2016 e 2017.
  • “Shorts” na bolsa de Lisboa em máximos de um ano
    Fonte: Negócios
    shorts

    Desde Dezembro de 2017 que não havia tantas empresas em Lisboa com apostas negativas. Existem actualmente cinco empresas da bolsa com posições a descoberto.

    A liderar os "shorts" na bolsa de Lisboa continuam os CTT e o BCP. No entanto, em ambos os casos estas apostas negativas registam uma forte quebra nos últimos meses. No caso da CTT, as posições curtas, que chegaram a superar a fasquia dos 10% do capital em Junho passado, estão agora em 3,61% do capital. Já no caso do BCP há 2,64% do capital em posições curtas. 

    A REN tem duas posições negativas da Lansdowne Partners e do Point72 Europe, representativas de 2,09% do seu capital. 

    A Jerónimo Martins e a Mota-Engil juntaram-se à lista de empresas com posições a descoberto superiores a 0,5% do capital, percentagem a partir da qual é obrigatório divulgar estas posições.
  • Mercados europeus abriram em alta com estímulos da China
    Fonte: Banco Invest
    150119

    Os mercados europeus abriram em alta no dia da votação do acordo do Brexit no Parlamento britânico. A expectativa é que seja rejeitado pela maioria dos deputados. Em caso de "chumbo", Theresa May é obrigada a apresentar, num prazo de três dias, um plano B para a saída da União Europeia.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,96% e as praças chinesas também encerraram com ganhos depois de a China ter prometido que vai reduzir impostos, intensificar gastos em infraestruturas e melhorar condições de crédito para pequenas empresas com o objectivo de ajudar a combater a maior desaceleração económica do país.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no vermelho penalizadas pelo sector energética e tecnológico. Cerca de 35 empresas que integram o índice S&P 500 vão apresentar os resultados relativos ao quarto trimestre de 2018 esta semana. O banco norte-americano Citigroup, apresentou os seus lucros ontem, acima do esperado, mas as receitas ficaram aquém das expectativas. Hoje é a vez do JPMorgan reportar as suas contas e no dia seguinte teremos os números do Goldman Sacks e do Bank of America.

    Dados Macroeconómicos:

     07h45: Índice de Preços no Consumidor (Dez)

     08h00: Índice de Preços no Consumidor (Dez)

     09h00: Produto Interno Bruto (2018)

     10h00: Balança Comercial (Nov)

     11h00: Actividade Turística (Nov)

     13h30: Empire Manufacturing (Jan)

     13h30: Índice de Preços no Produtor (Dez)

     23h50: Índice de Preços no Produtor (Dez)


    Eventos:

     15h00: Mario Draghi, presidente do BCE apresenta o relatório anual do BCE

     Discursos de vários membros da Fed: Kashkari (16h30), George (18h00) e Kaplan (18h00)

     19h00: Parlamento britânico vota acordo alcançado entre o Governo e a UE sobre o Brexit


    Resultados:

      UnitedHealth Group (AA), JP Morgan Chase (12h00), Delta Air Lines (12h00), Wells Fargo & Co (13h00), United Continental Holdings (DF)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Shorts" na bolsa de Lisboa em máximos de um ano

     IRS deixa reformado com cortes nas pensões

     Minoritários do BPI vão mais além na acção contra o Caixabank

     PSD decide quinta-feira entre Rio e Montenegro

     PSD: Opositores a Rui Rio acreditam que moção de confiança chumba se voto for secreto

     May Day: Theresa amarrou-se ao seu "Brexit" e pode cair com ele

     Estado já emprestou cinco mil milhões para o BES e o Novo Banco

     Brexit: Theresa May arrisca maior derrota parlamentar em cem anos

      Mota-Engil reclama sobre novas tarifas reguladas de resíduos

     OCDE: Portugal é um dos seis países que subiram impostos a empresas

  • Lucro supera expectativas mas receitas aquém do previsto
    Fonte: Thomson Reuters
    banks

    O terceiro maior banco norte-americano em termos de activos, obteve um lucro por acção de $1,61, um crescimento de 25,7% face ao período homólogo, superando as estimativas dos analistas que apontavam para $1,55. Esta melhoria foi devido ao desempenho mais positivo do que o esperado do corte de custos e das perdas na carteira de créditos.

    No entanto, as receitas totalizaram $17,12 mil mn, aquém do esperado pelos analistas de $17,59 mil mn, sobretudo devido à quebra de 21% das receitas com negociação de obrigações, moeda e matérias-primas, num período marcado por alguma turbulência nos mercados financeiros.
  • "Shutdown" de Trump é o mais longo na história dos EUA
    Fonte: Statista
    shutdown

    O impasse político que separa o Presidente dos EUA, Donald Trump, e o Congresso criou o mais longo "shutdown" da história dos EUA, batendo o recorde de 21 dias estabelecido durante a Presidência de Bill Clinton, em 6 de Janeiro de 1996.

    Donald Trump continua a dizer que não assinará o projecto de orçamento para o ano fiscal em curso, se o Congresso não incluir o financiamento de 5,7 milhões de dólares para a construção de um muro ao longo de toda a fronteira com o México.

    De acordo com a S&P Global Ratings, serão necessárias apenas duas semanas para a economia norte-americana perder mais de $6 mn devido ao "shutdown", superando os $5,7 mn que o presidente Donald Trump exigiu para financiar a sua proposta de fronteira. Segundo as estimativas do BofAML, cada duas semanas de "shutdown" terá um impacto de 0,10% no PIB.
  • Época de resultados arranca hoje com Citibank
    Fonte: Earnings Whispers
    earnings

    Hoje arranca a época de resultados nos Estados Unidos com o Citibank a divulgar as suas contas hoje pelas 13h00. Amanhã será a vez de JP Morgan e Wells Fargo. Na 4ª feira, teremos Bank of America e Goldman Sachs. Netflix, American Express e Morgan Stanley revelem os seus resultados na 5ª feira.

    Segundo os analistas da Thomson Reuters, as empresas do índice S&P 500 terão registado um aumento de 14,7% dos lucros no último trimestre de 2018. Apesar de ainda ser um aumento de resultados expressivo, é inferior às estimativas de Outubro, que apontavam para um aumento médio superior a 20%.

    Para o 1º trimestre de 2019, os mesmos analistas prevêem um acréscimo nos lucros de 3,9%. Os lucros em 2018 subiram 23,5% mas em 2019 são esperados somente uma subida de 7%.
  • O ano de quase todas as eleições
    Fonte: Standard Chartered
    elections
    Os riscos políticos serão elevados em 2019, uma vez que algumas eleições poderão levar a alterações políticas ou a resultados inesperados.

    Nos mercados desenvolvidos, as eleições do Parlamento Europeu a 26 de Maio realizam-se em circunstâncias excepcionais porque um membro importante da UE (o Reino Unido) terá acabado de deixar o bloco pela primeira vez, enquanto vários países da UE estão em conflito com Bruxelas.

    Espanha, Portugal, Itália, Grécia, Dinamarca, Polónia e Suécia são alguns dos países que realizam eleições na Europa.

    Nos mercados emergentes, os seguintes países serão em destaque: África do Sul, Argentina, Índia e Indonésia, entre outros.
  • UE preparada para adiar Brexit para Julho
    Fonte: Bloomberg
    BREXIT

    A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que o parlamento acabará por parar o processo para Brexit, caso o seu acordo com a UE seja chumbado na votação parlamentar agendada para amanhã, dia 15 pelas 19h00.

    Entretanto, a União Europeia está preparada para dar mais tempo ao Reino Unido. A data prevista para o Brexit é a 29 de Março, mas Bruxelas está disposta a prolongar o prazo para, pelo menos, Julho mas para isso, é preciso que May convença o seu Parlamento e peça mais tempo. A Comissão Europeia vai publicar uma carta hoje a dar garantias renovadas sobre o estatuto da Irlanda.
  • Mercados europeus no vermelho com queda de exportações chinesas
    Fonte: Banco invest
    140119

    Os mercados europeus abriram no vermelho em início da época de resultados do 4º trimestre de 2018 das empresas. Hoje o Citibank dá o pontapé de saída com a divulgação dos seus resultados pelas 13h00. Os analistas estimam que as empresas do índice S&P 500 tenham registado um aumento de 14,5% dos lucros no último trimestre de 2018. 

    Na Ásia, a Bolsa de Valores de Tóquio está encerrada hoje devido a feriado e as praças chinesas negociavam no vermelho depois do ritmo de crescimento do comércio externo global da China ter desacelerado, em 2018. As importações caíram 7,6% em Dezembro, quando os analistas previam um aumento de 4,5% e as exportações caíram 4,4% aquém do aumento esperado de 2%. O excedente da balança comercial da China com os EUA aumentou, para um novo máximo, apesar das disputas comerciais com Washington.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram negativas numa semana com o maior ciclo de ganhos desde Setembro. O sector energético penalizou as bolsas com as acções da Chevron a recuarem 0,8% e as da Exxon Mobil a caírem 0,5%. Pela positiva foram as acções da General Motors, que subiram mais de 7%, depois de ter revisto em alta as suas previsões dos resultados de 2018.

    Dados Macroeconómicos:

     02h58: Balança Comercial (Dez)

     07h00: Índice Preços Grossistas (Dez)

      10h00: Produção Industrial (Nov)


    Eventos:

      Bolsa de Valores de Tóquio encerrada devido a feriado


    Resultados - 4.º Trimestre:

     Jerónimo Martins anuncia vendas preliminares de 2018 (DF)

     Resultados: Citigroup (13h00)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Governo faz balanço "favorável" das PPP na Saúde

     Regulador quer multas mais elevadas para os transportes

     Marcelo recebe hoje Montenegro e PSD prepara-se para a batalha

     Bruxelas dá mais tempo a Londres e já admite um "Brexit" em Julho

     Plano para tornar casa mais eficiente falhou em toda a linha

     Com extensão do Artigo 50.º britânicos têm direito a eleger eurodeputados em Maio

     Crise no PSD: Marques Mendes e Maria Luis Albuquerque defendem "clarificação"

     Bens essenciais sobem acima da inflação

     Sonae IM e FEUP criam laboratório de investigação

     Quais são as pedras no sapato dos banqueiros nacionais?

     Rio quer usar crise para afastar "golpistas"

      Regulador da energia recebeu 800 queixas sobre contadores em 2018

  • 14 a 18 Janeiro 2019
    Fonte: Banco Invest
    agenda

    O destaque da próxima semana será a votação do Parlamento britânico sobre o acordo alcançado entre o Governo e a UE em relação ao Brexit no dia 15 de Janeiro. Aguarda-se também a divulgação do crescimento da economia alemã. Os últimos dados económicos reduziram as expectativas de uma rápida recuperação da economia alemã depois de um decepcionante terceiro trimestre.

    Nos Estados Unidos, inicia-se a época de resultados do 4º trimestre de 2018. Os investidores aguardam também o desfecho do "shutdown" nos Estados Unidos que já dura 21 dias, igualando a maior série na história norte-americana.

    Estes são os principais eventos:

    Segunda-feira, 14 de Janeiro 2019

    • Bolsa de Valores de Tóquio encerrada devido a feriado
    • Balança Comercial China
    • 10h00: Produção Industrial Zona Euro
    • Jerónimo Martins anuncia vendas preliminares de 2018
    • Resultados EUA: Citigroup (13h00)

    Terça-feira, 15 de Janeiro 2019

    • Parlamento britânico vota acordo alcançado entre o Governo e a UE sobre o Brexit
    • 09h00: PIB Alemanha
    • 10h00: Balança Comercial Zona Euro 
    • 13h30: Índice de Preços ao Produtor EUA
    • 15h00: Discurso de Draghi, presidente do BCE
    • Discursos de vários membros da Fed: Kashkari (16h30), George (18h00) e Kaplan (18h00)
    • Resultados EUA: UnitedHealth Group (AA), JP Morgan Chase (12h00), Delta Air Lines (12h00), Wells Fargo (13h00), United Continental Holdings (DF)

    Quarta-feira, 16 de Janeiro 2019

    • 09h15: Discurso de Carney, governador do Banco de Inglaterra
    • Inflação Alemanha (07h00), Reino Unido (09h30), Itália (10h00)
    • 13h30: Vendas a Retalho EUA
    • 19h00: Fed divulga "Beige Book"
    • 23h30: Discurso de Kashkari, membro da Fed
    • Resultados EUA: BlackRock (AA), PNC Financial Services Group (11h45), Bank of America (11h45), Goldman Sachs Group (12h30)
     
    Quinta-feira, 17 de Janeiro 2019

    • 00h00: Discurso de Kuroda, presidente do Banco do Japão
    • 10h00: Inflação Zona Euro
    • 11h00: Discurso de Lautenschlaeger, membro do BCE
    • Resultados EUA: Morgan Stanley (12h00), Netflix (21h00), American Express (21h05)

    Sexta-feira, 18 de Janeiro 2019

    • 09h30: Vendas a Retalho Reino Unido
    • Discursos de vários membros da Fed: Williams (14h05) e Harker (16h00)
    • 13h30: Produção Industrial EUA
    • 15h00: Vendas de Casas Usadas EUA
    • Resultados EUA: Schlumberger (12h00)
  • Maior entrada em fundos de acções em 11 semanas - BofAML
    Fonte: BofAML
    ml

    Os investidores globais voltaram a investir em acções e obrigações esta semana, impulsionados pelos comentários "dovish" do presidente da Reserva Federal, Jerome Powell.

    Segundo o Bank of America Merrill Lynch, verificou-se a maior entrada em fundos de acções em 11 semanas no valor de $6,2 mil mn. Os fundos de obrigações também tiveram uma entrada de $7,2 mil mn, o maior aumento em 39 semanas.

    O indicador “Bull/Bear” da BofAML sobre o posicionamento dos investidores caiu para 1,8 na semana passada que é um sinal de “buy” para acções. O indicador voltou agora para o 2,2 que é terreno "neutral", esta semana.
  • Pretende lançar três novos modelos para o iPhone este ano
    Fonte: WSJ
    social

    Segundo o Wall Street Journal, a Apple pretende lançar três novos modelos com ecrã LCD para o iPhone este ano, incluindo um sucessor de seu modelo XR que tem sido uma desilusão.

    O fabricante do iPhone também planeia introduzir alguns novos recursos de câmara, incluindo uma câmara traseira tripla para o modelo mais sofisticado e uma câmara traseira dupla para os outros dois modelos.disseram as pessoas.
  • Corbyn defende eleições antecipadas para sair do impasse do Brexit
    Fonte: Nordea markets
    brexit

    O líder do Partido Trabalhista do Reino Unido, Jeremy Corbyn, afirmou que, se o acordo do Brexit da primeira-ministra Theresa May for rejeitado em votação no Parlamento britânico na próxima terça-feira, dia 15 de Janeiro, tem de haver eleições gerais antecipadas "na primeira oportunidade possível".

    Jeremy Corbyn prefere eleições antecipadas a um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.
  • Mercados europeus abriram em alta aguardando inflação EUA
    Fonte: Banco Invest
    110119

    Os mercados europeus abriram em alta com os investidores aguardando a divulgação do índice de preços no consumidor, nos EUA, que deverá ter recuado, no último mês do ano, para 1,9%, em termos homólogos, face aos 2,2% registados um mês antes, devido sobretudo à queda do petróleo

    As bolsas de valores asiáticas atingiram um máximo de cinco semanas com o índice Nikkei 225 a subir 0,97%. A primeira ronda das negociações entre China e os EUA terminou esta semana com alguns progressos.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram em alta pelo quinto dia consecutivo depois de Powell, presidente da Fed ter reiterado a opinião de outros membros da Fed que seria paciente com os aumentos das taxas de juro. As acções da Macy's afundaram mais de 17% depois de ter cortado as previsões de resultados devido ao enfraquecimento das vendas em Dezembro. A outra empresa que reduziu as suas previsões de resultados foi a American Airlines, que caiu mais de 4%.

    Dados Macroeconómicos:

     08h00: Produção Industrial (Nov)

     09h00: Produção Industrial (Nov)

     09h30: Balança Comercial (Nov)

     09h30: Produção Industrial (Nov)

     09h30: PIB (Nov)

     11h00: Índice de Preços no Consumidor (Dez)

     11h00: Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas (Nov)

     13h30: Índice de Preços no Consumidor (Dez)


    Eventos:

     00h00: Discurso de Clarida, membro da Fed

     08h20: Discurso de Mersch, membro do BCE

     10h00: Debate quinzenal no Parlamento

     11h00: Assembleia Geral da Pharol

     Fitch pronuncia-se sobre a dívida espanhola

     DBRS pronunciar-se sobre a dívida italiana


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Santa Casa apanhada no colapso do BES

     Dona da Zara corta encomendas a Portugal

     Popularidade de Marcelo em queda acentuada

     CMVM analisa valorização da Inapa antes da operação da Parpública

     Estado entra com 18% em plano de investimento de 22 mil milhões

     PSD: Montenegro avança já contra Rio, o líder que perdeu aliados

     Pedro Marques na frente para liderar PS nas europeias

     Investimentos até 2030 abrem caminho a 3.ª travessia no Tejo

     Fundo dos lesados exige 1.600 milhões às seguradoras dos gestores do BES

     Millennium bcp quer vender participação de 29,7 pct na Inapa

     Vasco da Gama vai ter faixa de "bus" ou metro ligeiro

     Trump e o muro: Presidente vista fronteira do Texas com o México para mostrar que vai até ao fim

     CTT: Mais de 15 concelhos em risco de perder estações

  • Vendas fracas na época natalícia penalizam retalhistas
    Fonte: Banco invest

    retalho
    us

    Vários retalhistas norte-americanos apresentaram vendas comparáveis para Novembro e Dezembro:

    • Macy’s: Cortou as suas projecções de lucros e crescimento das receitas comparáveis para o ano fiscal de 2019. Antecipa um crescimento das vendas comparáveis de 2% e resultados ajustados de $3,975 por acção.

    • Kohl’s: Apresentou um crescimento das receitas comparáveis de 1,2% em Novembro e Dezembro, bem abaixo dos 6,9% registados no período homólogo.

    • L Brands: Divulgou uma crescimento de 3,4% das vendas comparáveis em Dezembro.

    • Target: As receitas comparáveis cresceram 5,7% no período natalício, uma das melhores evoluções do sector.
  • Smartphones dobráveis, 5G e televisões que se enrolam são as novidades
    Fonte: CES
    CES

    Las Vegas recebe esta semana a maior feira de electrónica de consumo do mundo, a CES 2019, onde são apresentadas as grandes novidades da tecnologia que vão marcar 2019 e os próximos anos.

    Estes são algumas das novidades:

    • A Royole lançou o primeiro smartphone com ecrã AMOLED flexível e apresenta agora novos produtos baseados na tecnologia do ecrã dobrável. A Samsung também anunciou hoje que vai apresentar o seu novo telemóvel dobrável no dia 20 de Fevereiro.

    • A quinta geração de redes de telecomunicações está “ao virar da esquina” e promete velocidades “astronómicas” de internet. Muitas fabricantes de smartphones querem estar na linha da frente dos lançamentos, resta saber quem vai receber o título de “o primeiro smartphone 5G no mercado”.

    • Os ecrãs dos televisores estão cada vez maiores, mas não precisam de ocupar mais espaço. Depois de ter mostrado um protótipo no ano passado, a LG vai começar a comercializar a sua OLED TV R que se enrola ainda este ano.

    • Com a queda das vendas dos smartphones, a Apple poderá lançar novas funcionalidades e dispositivos relacionados com o bem-estar e saúde, como o registo de patente para o design de AirPod com sensores biométricos, ou o desenvolvimento de um chip móvel para gadgets e aplicações médicas.

    • A NVIDIA vai criar arquitectura de inteligência artificial para a próxima geração de automóveis autónomos da Mercedes.

    • A KIA vai utilizar sistemas de inteligência artificial para reconhecer as emoções das pessoas nos carros autónomos. 

    • A Hyundai apresentou um automóvel que tem quatro pernas que permite esticar e transformar-se numa espécie de AT-AT de Star Wars.
  • Previsão dos hábitos de investimento
    De acordo com a Accenture, a geração dos milénios deverá herdar a maior riqueza da história, totalizando 30 biliões de dólares ao longo de 30 a 40 anos.

    mil

    Embora seja difícil prever o que essa nova geração de investidores fará quando os fundos chegarem às suas contas, existe muita especulação sobre os hábitos e atitudes que caracterizarão a sua abordagem colectiva à gestão de património à medida que envelhecem.

    Eis os resultados de uma sondagem a 9800 pessoas nos EUA e Europa entre 18 e 35 anos:

    • 89% dos inquiridos investem em mercados financeiros;
    • Quase metade das pessoas (49,7%) disse que o seu sector favorito é o tecnológico, com saúde (12,1%), energia (11,5%) e imobiliário (9,9%) aparecendo no radar também;
    • As acções da Amazon são as preferidas;
    • Os milénios classificam o seu nível de especialização em investir como bastante limitado, com apenas 18,3% dos inquiridos expressando que tinham confiança nos seus conhecimentos;
    • 83% dos 4022 inquiridos que compram acções, utilizam "research online" para escolher as acções;
    • 70,2% preferem falar com humanos em vez de "robo advisors";
    • Os serviços profissionais que preferem são: Robinhood (28,6%), Fidelity (23%) e Vanguard (17%);
    • Em relação aos factores para escolherem um serviço profissional, 42,4% consideraram baixas comissões como um dos três principais factores decisivos. Ao mesmo tempo, a simplicidade (11,6%) e variedade de classes de activos (13,1%).

    milleniums