MATÉRIAS-PRIMAS

Os maiores mercados globais de commodities
Com um clique transacciona petróleo, ouro, gás natural e outras matérias-primas



Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
white-line
  • Risco mais baixo
  • Risco mais elevado
warning-risk-alert

O indicador de risco pressupõe que poderá não efectuar a transacção ao preço pretendido devido à volatilidade do mercado, o que irá originar impacto no retorno.

O QUE SÃO COMMODITIES

Commodity significa em inglês mercadoria, Commodities ou seja mercadorias são bens de origem primária, em estado bruto ou com pequeno grau de industrialização, como cereais ou metais.

Há duas formas possíveis de negociar matérias-primas: Negociação directa, em que se compra fisicamente a matéria-prima e depois tem de a transportar e armazenar, exemplo - milho ou crude. Negociação indirecta, nos mercados financeiros faz-se a negociação destes produtos através de activos financeiros como fundos, ETF ou derivados de matérias-primas, como CFDs ou Futuros.

A bolsa Chicago Mercantile Exchange (CME), fundada em 1898, é uma das mais antigas Bolsas de derivados e a maior do mundo no que toca a este tipo de activos.

FACTORES DE FORMULAÇÃO DE PREÇOS

Os investimentos em matérias-primas podem estar sujeitos a maiores flutuações de preços. Alguns dos factores que podem contribuir para estas variações são: relação entre oferta e procura e as respectivas existências em reserva destes produtos;

Questões climáticas ou ambientais, (em Agosto de 2012, os preços do milho atingiram valores máximos devido a secas extremas nos EUA, um dos maiores produtores mundiais de milho);

Eventos nacionais ou internacionais; Intervenções estatais como regulamentos ou impostos; flutuações de taxas de câmbio, note-se que a maior parte das matérias-primas cotam em USD, e consequentemente se o dólar norte-americano (USD) está alto, tenderá a ser mais prejudicial às exportações destes produtos. Já um dólar mais baixo é um catalisador das exportações.

DIVERSIFICAÇÃO E INDEPENDÊNCIA DE DESEMPENHO

O desempenho ou evolução dos preços das matérias-primas pode, e normalmente tende, a depender menos da situação geral vivida nos mercados bolsistas. A evolução de preços nas matérias-primas pode inclusivamente ser positiva quando no mercado de acções se observam tendências de queda ou de lateralização dos preços Exemplo clássico desta situação é o Ouro, considerado como activo de refúgio. Em 2011, com a crise da dívida soberana na Europa, atingiu o seu valor mais alto de sempre: 1.898,99 USD a onça troy

TIPOLOGIAS

É assinalável a heterogeneidade na composição da classe de matérias-primas, uma primeira classificação que se pode fazer, é dividir em três grupos ou categorias:

Energia; metais e produtos agrícolas. Há as hard commodities (matérias primas «duras»), englobam as de energia e metais, e as soft commodities (matérias primas «delicadas»), que englobam os produtos agrícolas.

ENERGIA

Crude, gasóleo, gasolina, gás natural e gasóleo de aquecimento

METAIS

Subdivide-se em dois: Metais preciosos (Ouro, prata, platina e paládio); Metais industriais (Alumínio, cobre, níquel, chumbo e estanho).

PRODUTOS AGRÍCULAS

Também conhecidas como soft commodities (matérias primas "delicadas") engloba os produtos tropicais, café, açúcar ou cacau e os de grão, como soja, trigo ou milho.

EXEMPLO DE NEGOCIAÇÃO EM CFD's DE OURO

Uma das matérias primas mais populares é o Ouro. É um dos activos de refúgio, a que os investidores mais recorrem, em períodos de maior volatilidade ou incerteza em mercados.
Investir nesta matéria prima através de CFDs é simples e acessível ao investidor.
Basta selecionar este activo, definir o número de onças que pretendemos negociar e colocar a ordem ao preço pretendido para execução.
A quantidade da ordem é definida à unidade, o investidor tem controlo sobre o número de onças que pretende alocar à sua carteira.
Esta posição não tem uma data de vencimento e pode ser mantida sem limite temporal e de acordo com a estratégia do investidor.

A título de exemplo a compra de 10 onças de ouro, considerando a cotação de $1300, irá exigir de margem financeira cerca de 55€ face ao valor nocional de $13.000 (número de onças * valor da cotação / 10*$1300=$13.000).

EXEMPLO DE NEGOCIAÇÃO EM FUTUROS DE PETRÓLEO

O investimento em petróleo através dos futuros e ligado aos diferentes ciclos económicos é uma estratégia muito utilizada pelos investidores.
Em períodos em que os dados económicos e industriais são expansionistas e o consumo da matéria prima aumenta, o petróleo valoriza, verificando-se o inverso em período de contração financeira ou aumento da oferta do mesmo em mercado.

Os investidores podem aproveitar estes ciclos, negociando a variação do preço, dos futuros sobre a matéria prima.
Na negociação de futuros é importante considerar que existe um factor multiplicador para cada contrato.
Contrariamente aos CFDs sobre matérias primas, em que a quantidade é definida por unidade. No futuro podemos definir a quantidade de contratos que pretendemos negociar, a cada um dos contratos é aplicado o factor multiplicador.

Considerando, por exemplo, um investimento em dois contratos do Futuro de Crude Novembro 2017, o factor multiplicador é de 1000, ou seja, cada contrato terá automaticamente 1000 barris de exposição à matéria prima.
Com a cotação de $50.45 negociar os dois futuros terá uma exposição de [(nº de contratos*factor multiplicador)*cotação)], ou seja, (2*1000)*$50.45=$100.900
Por cada um dos contratos o requisito de margem inicial seria de 1.406.25$ e a respectiva margem de manutenção é de 1.125,00$.

É importante referir que os futuros têm uma data de vencimento, pelo que a sua data de referência deve ser respeitada pelo investidor.
No último dia de negociação do futuro a posição do investidor será automaticamente saldada, já que deixa de ser negociado.

Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
white-line
  • Risco mais baixo
  • Risco mais elevado
warning-risk-alert

O indicador de risco pressupõe que poderá não efectuar a transacção ao preço pretendido devido à volatilidade do mercado, o que irá originar impacto no retorno.

ADVERTÊNCIAS ESPECÍFICAS AO INVESTIDOR


O indicador de risco resumido é uma guia do nível de risco deste produto comparado com outros produtos. Apresenta a probabilidade do produto perder dinheiro por causa dos movimentos nos mercados ou porque não temos capacidade para lhe pagar.

Este produto está classificado como 7 de 7, o que se traduz como a classe de risco mais elevada. Tal avalia as perdas potenciais de desempenho futuro a um nível extremamente elevado.

Os CFD's são produtos alavancados que, dados os movimentos dos mercados subjacentes, podem produzir perdas muito rapidamente. As perdas podem exercer o montante investido e pode ser exigido ao investidor que deposite mais fundos. Não existe protecção de capital contra risco de mercado, risco de crédito ou risco de liquidez.

Os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida dinheiro devido ao efeito de alavancagem.
64% de contas de investidores de retalho perdem dinheiro quando negoceiam CFDs com este fornecedor.
Deve considerar se compreende como funcionam os CFDs e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.

Pronto para investir online?

Contacte-nos se precisa de ajuda para começar, teste a plataforma, seja nosso cliente.

Este site utiliza "cookies" para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais Concordo