FIQUE A PARAcompanhe os destaques e principais tendências do dia que influenciam as bolsas em todo o mundo.
Outlook Análise Técnica Research Investimento Educação
04.06.2020 16:53
Saúde
Invest Trends
Factores de crescimento do sector Saúde Tendências demográficas: - Aumento da esperança média de vida e consequente envelhecimento populacional. - Aumento dos gastos com a saúde a nível global. Ainda, factores como as pandemias, o envelhecimento da população nos países desenvolvidos, o desenvolvimento de novos medicamentos e o aumento da procura em muitas das economias emergentes e em desenvolvimento, deverão sustentar o bom desempenho do sector da Saúde nos próximos anos. Acesso a produtos/serviços - Maior facilidade no acesso aos sistemas de saúde em vários países do mundo. - Melhoria contínua e maior alcance da prevenção e prestação de serviços médicos Progresso único - Ampliação dos avanços científicos nas áreas da Engenharia Genética, da Biotecnologia e da Inteligência Artificial. Mudança e prosperidade - Novas formas de tratamento inovadoras e mais eficazes, principalmente nos países emergentes. - Novos modelos de negócios relacionados com a saúde. Necessidade novas terapias - Necessidade de novas terapias cada vez mais personalizadas para um número crescente de doenças invulgares e atípicas. Saúde como Oportunidade de Investimento 1. Principal Indústria Global Sector com relevância mundial e impacto em todas as economias As vendas globais do Sector são crescentes todos os anos e é um dos mais rentáveis  2. Procura Sustentável As tendências demográficas (crescimento populacional e envelhecimento) criam uma procura global crescente Crescimento acima da média nos mercados emergentes  Crescente necessidade de novos e eficientes medicamentos e terapias 3. Inovação e progresso Elevadas taxas de aprovação e comercialização de novos medicamentos e terapias em todo o mundo. Desenvolvimento da Biotecnologia 4. Crescimento Económico A Indústria Farmacêutica foi das que mais cresceu na última década1. Os cuidados de saúde representam uma elevada percentagem do PIB mundial 5. Fusões, Aquisições e Parcerias As grandes empresas absorvem as mais pequenas, dotadas de alta tecnologia As parcerias com entidades externas são consideradas fontes de inovação.   SAIBA MAIS   Disclaimer O valor do capital investido em instituições de investimento colectivo pode flutuar, em função da avaliação dos activos que integram o seu património, e mesmo não permitir recuperar o montante inicialmente investido. Alterações das taxas de câmbio entre divisas podem afectar o valor do investimento. As rendibilidades divulgadas representam dados passados, não constituindo garantia de rendibilidade futura porque o valor das unidades de participação pode aumentar ou diminuir em função do nível de risco que varia entre 1 (risco mínimo) e 7 (risco máximo). As rendibilidades apresentadas não incluem qualquer comissão de subscrição ou de resgate e estão líquidas de todas as comissões inerentes à instituição de investimento colectivo. As rendibilidades divulgadas para prazos superiores a 1 ano só seriam obtidas caso o investimento tivesse sido feito durante a totalidade do período de referência. Às rendibilidades obtidas nas instituições de investimento colectivo de sociedades gestoras internacionais ainda será retido na fonte à taxa em vigor sobre as mais valias realizadas aquando do resgate. Os prospectos e notas informativas complementares das instituições de investimento colectivo estão disponíveis, para consulta, em www.bancoinvest.pt ou aos balcões do Banco Invest, S.A. Para o cálculo das rendibilidades são usadas as seguintes datas: - Data final: data da última cotação, de acordo com o indicado; - Data inicial: - 3 Meses: mesma data, há três meses; - Ano Corrente: 31 de Dezembro do ano anterior, ou dia útil imediatamente anterior; - 1 Ano: mesma data, no último ano; - 3 Anos: mesma data, há três anos; - 5 Anos: mesma data, há cinco anos; Para rendibilidades referentes a anos civis inteiros (2017, por exemplo), será usada como data final o dia 31 de Dezembro desse ano e como data inicial o dia 31 de Dezembro do ano anterior. No caso de a data indicada não corresponder a um dia útil, será utilizado o dia útil imediatamente anterior. O Banco Invest recebe da Sociedade Gestora uma percentagem da comissão de gestão dos fundos de investimento (e/ou de distribuição, quando aplicável), de forma a suportar os serviços prestados aos seus clientes, designadamente: - Disponibilização de ferramentas online que permitem a pesquisa, análise e comparação de fundos de investimento; - Custos de transacção, liquidação e custódia das unidades de participação/acções dos fundos de investimentos; - Divulgação de informação sobre eventos relativos aos fundos de investimento (dividendos, conversões, fusões, aquisições e liquidações); - Divulgação e actualização das cotações diárias e das rendibilidades dos fundos de investimento; - Custos inerentes à actividade geral de distribuição dos fundos de investimento (recursos humanos, infra-estruturas, tecnologia, fornecedores, documentação legal, taxas de supervisão, etc).
04.06.2020 11:40
Influência dos Bancos Centrais nos Mercados
Opinião
Os Bancos Centrais têm, regra geral, dois grandes objectivos na sua génese: - Uma inflação controlada, na ordem dos 2% nos países desenvolvidos; - Estabilidade cambial, contribuindo assim para o crescimento sustentado da economia e a criação de emprego. No ultimo século, com o abandono do padrão-ouro, a importância dos Bancos Centrais tem sido crescente, em particularmente em períodos de abrandamento económico e de maior turbulência nos mercados financeiros. Com a pandemia da COVID-19 e todos os problemas para a economia inerentes à mesma, os Bancos Centrais têm vindo a actuar com fortes medidas, nomeadamente com mais cortes nas taxas de juro (já historicamente baixas) e vários pacotes de estímulos monetários. No que diz respeito às taxas de juro, tanto a Reserva Federal dos EUA (FED) como o Banco Popular da China (PBOC) baixaram as suas taxas de referência em 1,5% e 0,3%, para o intervalo de 0% -  0,25% e os 3,85% respectivamente. Por sua vez, o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco do Japão (BOJ), mantiveram as taxas de referência, considerando que mesmas já se encontram em território negativo, o que diminui consideravelmente a utilidade marginal desta medida. Para além da acção sobre as taxas de juro, os principais Bancos Centrais têm igualmente adoptado outras medidas de política monetária de apoio à recuperação económica e reforço do sistema financeiro. Em Abril, o BCE anunciou novas medidas para reforçar a liquidez do sistema: melhorou a atractividade das injecções de liquidez TLTRO-III (reduziu o seu custo em 50 p.b.) e lançou um programa de refinanciamento - PELTROs, em inglês Pandemic Emergency Longer- Term Refinancing Operations, que consistem em operações de refinanciamento, baixando o custo de financiamento em 25 p.b.. No total as compras efectuadas desde o fim de Março ascendem a 750 mil milhões de Euros. Destaque também para a decisão de passar a aceitar activos com rating inferior a investment grade, no âmbito do seu programa de compras de dívida pública e privada, uma decisão inédita. A FED procurou que os bancos concedessem mais crédito às empresas facilitando as restrições de capital dos mesmos. Para tal anunciou que vai excluir as Treasuries e as reservas em dinheiro detidas no seu balanço do cálculo do capital exigido aos bancos comerciais, durante 1 ano. A FED anunciou, ainda, um mecanismo destinado a comprar obrigações corporativas elegíveis, com início em 12 de Maio. O chamado Secondary Market Corporate Credit Facility vai iniciar a compra de ETFs elegíveis que invistam em dívida de empresas. Por fim, o BOJ comprometeu-se a comprar obrigações do governo de forma ilimitada e aumentar a compra de obrigações corporativas. Este Banco vai emitir novas obrigações para financiar um pacote de estímulos recorde. Até então tinha como orientação, na dívida soberana, o aumento da sua posição em 80 biliões de ienes (USD 743 mil milhões) por ano. Uma questão que tem sido amplamente debatida, é, no entanto, a influência dos Bancos Centrais nos mercados financeiros, e qual o seu papel nas suas mais recentes valorizações. Num mercado de capitais que se pretende livre, várias têm sido as vozes contra uma excessiva influência dos Bancos Centrais nos mercados financeiros e na consequente distorção das avaliações dos vários activos, como um desfasamento entre os preços e os respectivos fundamentais e uma maior dificuldade de price discovery em termos de oferta e de procura. Jargões como “Whatever it takes”e “Too big to fail” ficaram populares. Olhando para o gráfico anterior e tendo por base os 4 Bancos Centrais referidos – Reserva Federal dos EUA (FED), Banco Central Europeu (BCE), Banco do Japão (BOJ) e Banco Popular da China (PBOC), é notório o aumento dos activos detidos por estes Bancos. O BOJ, foi o banco que começou há mais tempo com esta tendência. Num país com uma população muito envelhecida e tecnologia muito barata, a solução encontrada para estimular a inflação e o crescimento do PIB foi a compra de activos nos mercados financeiros. No Japão para além de crescimentos anémicos da economia e inflação muito baixa, também os mercados medidos pelo índice accionista Nikkei-225, não apresentam valorização, estando agora em valores idênticos aos de 2008. O BCE e o PBOC seguiram estratégias semelhantes, ainda que mais tarde, e com maiores flutuações no caso do BCE, que foi um comprador massivo de dívida da Zona Euro, indo de encontro, quando necessário, ao auxilio de países que estavam em situação de dificuldade no que diz respeito ao financiamento e acesso aos mercados financeiros. O caso mais fascinante, no entanto, é o da FED, que começou o grande aumento do seu balanço na crise do subprime em 2008. No início desta crise tinha cerca de 1.000 mil milhões de USD de activos no seu balanço, e a 30 de Abril tem cerca de 7 vezes mais (7,037 mil milhões USD). Se no subprime a FED foi acusada de perder algum tempo em ir em “salvação dos mercados”, na presente crise da COVID-19 foi bastante mais célere. No que diz respeito ao valor das operações, este valor foi também bastante superior: no subprime a FED aumentou o seu balanço em 1.300 mil milhões de USD (mais que dobrando o valor de activos de então) em 70 dias; já na actual crise aumentou o seu balanço em 2.700 mil milhões de USD, em 77 dias de compras. O gráfico seguinte mostra-nos a relação entre o PIB dos países e os activos detidos pelos Bancos Centrais. Fica claro mais uma vez a grandeza do valor destes activos, situando-se este rácio em máximos históricos. O caso mais impressionante é o do Japão, onde este rácio já ultrapassa os 100%, o que mostra por um lado um fraco crescimento do PIB e por outro as compras massivas feitas por este Banco Central ao longo dos anos.  Assim, presentemente temos uma aparente divergência entre as economias e os mercados. No caso dos Estados-Unidos, se por um lado temos uma economia que demonstra bastante fraqueza, com uma contracção anualizada esperada de 30%, no 2º trimestre, e uma forte subida da taxa de desemprego para os 14,7% em Abril, a elevada liquidez existente nos mercados permitiu a forte recuperação do índice S&P-500, que desde os mínimos de Março último, já recuperou cerca de 36,5%, em USD à data de fecho de dia 26 de Maio. Concluindo, os Bancos Centrais têm hoje uma influência crescente e preponderante nos mercados financeiros, e são claramente um player activo e com um arsenal de instrumentos e políticas à sua disposição que nenhum investidor privado ou institucional poderá algum dia almejar. Desta forma, os mercados parecem continuar em modo “Don´t fight the FED”. Os mercados financeiros são factores de desconto de cash-flows esperados no futuro. Neste sentido, a correlação entre os mercados financeiros e o newsflow de indicadores macroeconómicos é, regra geral, baixa. No entanto, parece existir nos dias que correm um optimismo exacerbado, causado por uma óptica de continuo risk on, em muito suportado pelos Bancos Centrais.     Luís Neto Invest Gestão de Activos 26 de Maio de 2020
03.06.2020 15:32
Análise Técnica
EUR/USD | Prata
EUR/USD @ 1.1206  O par EUR/USD quebrou com convicção uma importante resistência de meses, a exponencial dos 200 dias. É defensável novo teste à linha de tendência (hoje nos 1.1445) que ficou validada no anterior "spike" (Março último).     Numa óptica de "trading" encontramos dois planos possíveis, uma entrada (compra) junto a um dos suportes num recuo do preço, ou se esse recuo não existir, uma entrada (venda) num teste falhado à linda de tendência referida. Faremos novo "udpate" com a aproximação de um dos cenários.   Prata @ 17.77  O prata recuperou a totalidade da queda de Março e já testou a resistência dos últimos meses. O bias positivo sai claramente reforçado.     Numa óptica de "trading", vemos a zona dos 19.5 como um ponto venda se o preço falhar um teste a essa importante referência. Por outro lado, identificamos a zona dos 16.50 como um ponto de compra. Consideramos uma terceira hipótese, apenas para posicionamentos mais agressivos, o preço suportar já na zona dos 17.50, onde encontramos também a exponencial das 200 horas. Faremos novo "update" assim que se justificar.     Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
02.06.2020 16:05
Análise Técnica
Update: S&P 500
S&P 500 @ 3071 O índice continua a sua toada de alta, mas continua também a perder volume e momentum, continuando a deixar para o "overnight" o grosso dos seus movimentos. Continuamos com um bias neutro à espera de um teste, pelo menos, aos suportes de muito curto prazo, que validariam de outra forma esta recuperação. Destacamos para já a exponencial das 200 horas, que é visitada com bastante regularidade e que já dista do preço mais de 150 pontos (neste momento nos 2917), não permitindo neste momento muito mais que paciência. Como referências para o curto prazo, a importante resistência que passou a suporte, na zona dos 3025/30 e em seguida o intervalo 3115/35, que destacamos no gráfico.     . Análise Anterior: S&P 500 @ 2948 (Fecho de quinta-feira) O S&P500 marcou novos máximos relativos mas não consegue sustentar acima da nossa importante referência no intervalo 2935/50. A dependência cada vez maior, em todos os movimentos de alta, das 6 ou 7 “suspeitas do costume”, torna o índice cada vez mais vulnerável. O volume desaparece quando o mercado sobe (o grosso do movimento é feito com o mercado à vista fechado) e o sentimento dos intervenientes, não estando ainda nos níveis de total euforia de Fevereiro último, “galopa” a passos largos para a mesma complacência. Os sinais são muitos e claros, com a agravante da realidade do preço: Não está a conseguir sustentar acima dos 2935/50.     Acima dos 2935 mantemos alguma neutralidade, mas o padrão em todos os períodos temporais de análise aponta claramente para que esta recuperação acabe mesmo na zona da exponencial dos 200 dias e do importante “golden retracement” (61.8%). Reavaliaremos com uma correcção no gráfico diário, que esgote os indicadores na zona de sobre venda e com o preço acima dos 2935 – Essa reavaliação teria obviamente um “bias” bastante positivo. Até lá é expectável que estejamos a ver o fim desta recuperação e a consequente confirmação do começo de um “bear market”.     Numa óptica de “trading”, continuamos a defender o mesmo cenário, mesmo depois de o índice ter invalidado o plano anterior desenhando máximos ligeiramente acima do “stop” que definimos. Estaremos atentos para nova reentrada. Como níveis de referência para o curto prazo, identificamos as resistências 2935, depois os 2950/5 e por fim a zona dos máximos, 2970/80. A quebra dos 2922, principalmente se for feita em “gap” no sentido contrário ao “gap” de abertura semanal, é um sinal técnico muito claro que reforça a ideia de um ponto final neste movimento de recuperação.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
28.05.2020 11:26
Análise Técnica
Update: DAX30
DAX30 @ 11747 O índice alemão reconquistou a importante zona de mínimos no gráfico semanal (11538/49) mas está neste momento a testar a exponencial dos 200 dias, importante referência técnica de médio prazo. O nosso “bias” é agora neutro, mas identificamos alguns sinais interessantes numa óptica de “trading” nos períodos temporais mais curtos.     As divergências no gráfico horário apontam para uma falha neste 1º teste à exponencial referida, pelo que sugerimos uma entrada nos níveis actuais (11747) com um “stop” @ 11847 (também neste caso o plano deve incluir um “stop” garantido). Definimos dois objectivos, os 11377 e os 10917 (rácio retorno/risco = 6) Continuamos a respeitar a volatilidade nos índices e mantemos apenas 1/16 do risco habitual.   Análise Anterior: DAX30 @ 11099 O índice alemão reconquistou a zona dos 10548 e rapidamente colou aos máximos anteriores, desenhando novas divergências negativas. O máximos podem estar novamente feitos, pelo que podemos defender um teste abaixo dos 9800, mas para o plano que iremos sugerir, com uma entrada nos níveis actuais (11099), consideraremos os 10099 como objectivo. O “stop” ficará nos 11299. Continuamos com 1/16 do risco habitual. Este plano só deverá ser executado com um “stop” garantido. Análise Anterior: DAX30  @ 10329 O índice alemão pode estar a desenhar esta semana um quadro técnico bastante claro. Um fecho semanal abaixo dos 10580 confirmaria uma “Engulfing Bearish” (destacada a lilás no gráfico semanal) depois de uma recuperação técnica dos mínimos que para já falhou redondamente no enorme “gap down” deixado no início de Março. O nosso bias é claramente negativo abaixo dos 10580. O gráfico diário também apoia este cenário, com destaque para a inversão do MACD, pelo que abaixo dos 10580 veremos as recuperações como oportunidades de entrada a favor da tendência dominante. O primeiro objectivo para as próximas semanas estaria na zona dos 9500 e em seguida nos mínimos do ano.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
28.05.2020 10:15
Análise Técnica
Update: USD/JPY
USD/JPY @ 107.83 A recuperação até à nossa zona de resistência ocorreu conforme esperado. Está também confirmada nova inversão em baixa no MACD horário, o que apoia a ideia sugerida: Uma entrada nos níveis actuais (107.83), com um “stop” @ 108.23 e como objectivo, os 105.83. Continuamos com 1/16 do risco habitual.     Análise Anterior: USD/JPY @ 107.51 O USD/JPY continua com o mesmo padrão há um ano, com o preço a lateralizar com um pendor negativo, tendo desenhado um mínimo importante em Março que poderemos ver testado em breve.     Olhando para o gráfico horário, constatamos um sinal de compra no MACD – apoiado na exponencial dos 200 períodos, que pode catapultar o preço para a nossa zona de resistência (venda). Mantemos um bias neutro no curto prazo e vamos esperar por uma recuperação até à nossa referência para a elaboração de um plano.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.   </análise>
27.05.2020 09:09
Análise Técnica
AUD/NZD | USD/JPY
AUD/NZD @ 1.0723 O par desenhou uma divergência negativa na mesma zona onde o tinha feito no último trimestre do ano passado. Esperamos novo movimento descendente.     Olhando para o gráfico horário identificamos novo sinal de venda no MACD horário, o que apoia o plano que sugerimos: Uma entrada “short” nos níveis actuais (1.0722), com dois “stops”, 1.0772 e 1.0842. Como objectivo definimos os 1.0297 e continuamos com 1/16 do risco habitual.   . USD/JPY @ 107.51 O USD/JPY continua com o mesmo padrão há um ano, com o preço a lateralizar com um pendor negativo, tendo desenhado um mínimo importante em Março que poderemos ver testado em breve.     Olhando para o gráfico horário, constatamos um sinal de compra no MACD – apoiado na exponencial dos 200 períodos, que pode catapultar o preço para a nossa zona de resistência (venda). Mantemos um bias neutro no curto prazo e vamos esperar por uma recuperação até à nossa referência para a elaboração de um plano.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
22.05.2020 09:32
Análise Técnica
S&P 500
S&P 500 @ 2948 (Fecho de quinta-feira) O S&P500 marcou novos máximos relativos mas não consegue sustentar acima da nossa importante referência no intervalo 2935/50. A dependência cada vez maior, em todos os movimentos de alta, das 6 ou 7 “suspeitas do costume”, torna o índice cada vez mais vulnerável. O volume desaparece quando o mercado sobe (o grosso do movimento é feito com o mercado à vista fechado) e o sentimento dos intervenientes, não estando ainda nos níveis de total euforia de Fevereiro último, “galopa” a passos largos para a mesma complacência. Os sinais são muitos e claros, com a agravante da realidade do preço: Não está a conseguir sustentar acima dos 2935/50.     Acima dos 2935 mantemos alguma neutralidade, mas o padrão em todos os períodos temporais de análise aponta claramente para que esta recuperação acabe mesmo na zona da exponencial dos 200 dias e do importante “golden retracement” (61.8%). Reavaliaremos com uma correcção no gráfico diário, que esgote os indicadores na zona de sobre venda e com o preço acima dos 2935 – Essa reavaliação teria obviamente um “bias” bastante positivo. Até lá é expectável que estejamos a ver o fim desta recuperação e a consequente confirmação do começo de um “bear market”.     Numa óptica de “trading”, continuamos a defender o mesmo cenário, mesmo depois de o índice ter invalidado o plano anterior desenhando máximos ligeiramente acima do “stop” que definimos. Estaremos atentos para nova reentrada. Como níveis de referência para o curto prazo, identificamos as resistências 2935, depois os 2950/5 e por fim a zona dos máximos, 2970/80. A quebra dos 2922, principalmente se for feita em “gap” no sentido contrário ao “gap” de abertura semanal, é um sinal técnico muito claro que reforça a ideia de um ponto final neste movimento de recuperação.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
21.05.2020 10:25
Análise Técnica
Update: DAX30
DAX30 @ 11099 O índice alemão reconquistou a zona dos 10548 e rapidamente colou aos máximos anteriores, desenhando novas divergências negativas. O máximos podem estar novamente feitos, pelo que podemos defender um teste abaixo dos 9800, mas para o plano que iremos sugerir, com uma entrada nos níveis actuais (11099), consideraremos os 10099 como objectivo. O “stop” ficará nos 11299. Continuamos com 1/16 do risco habitual. Este plano só deverá ser executado com um “stop” garantido. Análise Anterior: DAX30  @ 10329 O índice alemão pode estar a desenhar esta semana um quadro técnico bastante claro. Um fecho semanal abaixo dos 10580 confirmaria uma “Engulfing Bearish” (destacada a lilás no gráfico semanal) depois de uma recuperação técnica dos mínimos que para já falhou redondamente no enorme “gap down” deixado no início de Março. O nosso bias é claramente negativo abaixo dos 10580. O gráfico diário também apoia este cenário, com destaque para a inversão do MACD, pelo que abaixo dos 10580 veremos as recuperações como oportunidades de entrada a favor da tendência dominante. O primeiro objectivo para as próximas semanas estaria na zona dos 9500 e em seguida nos mínimos do ano.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
19.05.2020 10:09
Análise Técnica
Update: S&P 500
S&P 500 @ 2953.91 (Fecho de segunda-feira) O índice reagiu a várias notícias com mais um poderoso gap que voltou a colocar o preço na nossa zona de resistência. Claro que não podemos descartar a possibilidade de um “follow up” nesta zona que poderá levar o índice a testar o “breakdown” de Março, no intervalo 3100/200, mas a incapacidade para aguentar os anteriores máximos (zona dos 2939) deve trazer novo teste abaixo dos 2800. O gráfico horário mostra sinais de sobre compra, mas ainda não temos a confirmação do MACD no mercado à vista. A quebra dos 2938 deve trazer essa inversão, pelo que sugerimos nova entrada se o índice quebrar os 2939 (“trigger” de venda @ 2938), com um “stop” @ 2978 e com objectivo, os 2738. Continuamos com 1/16 do risco habitual.       Análise Anterior: S&P 500 @ 2775 O S&P500 continua a caminhar na direcção do nosso objectivo, mas com mais de metade do caminho percorrido, sugerimos a colocação de um “protect-profit-stop” nos 2808 (entrada @ 2928). Se o preço quebrar em negociação os 2748, sugerimos nova alteração, desta feita para os 2768. O nosso bias continua negativo abaixo dos 2935/50.     Análise Anterior: S&P 500 @ 2840 O sinal de venda no MACD e a divergência negativa que destacámos, trouxeram a reacção esperada. O índice parece também estar a quebrar o canal que suportou a recuperação dos mínimos. Não descartamos a possibilidade de nova recuperação (de curto prazo) depois do 1º teste à exponencial dos 200 períodos, mas enquanto o preço não reentrar no canal referido, esperamos que os 2728 sejam atingidos. Numa óptica de “trading”, sugerimos apenas a alteração do “stop” para o “breakeven” (entrada @ 2928).       Análise Anterior: S&P 500 @ 2928 O índice continua a consolidar junto à importante resistência no intervalo 2935/50. O MACD horário volta a sinalizar uma inversão (acompanhado por uma divergência negativa no oscilador pelo que sugerimos nova entrada nos níveis actuais (2928) com um “stop” @ 2968 e como objectivo, continuamos a defender um teste abaixo dos 2800 (o nosso “target” fica definido nos 2728). Continuamos com 1/16 do risco habitual.       Análise Anterior: S&P 500 @ 2830.71 (Fecho de sexta-feira) A confirmação da inversão do MACD horário foi dada nos 2916 pelo que o nosso objectivo para este plano está nos 2671 (2916 – (5* 49)) e o “stop” estava definido nos 2965. Aproveitamos para sugerir já uma alteração do “stop” para os 2867  (Entrada @ 2916). Iremos ver nos gráficos de prazo mais alargado (mais abaixo) algumas importantes referências para as próximas semanas, mas para já, numa óptica de “trading” e enquanto o preço não reconquistar os 2841, esperamos um teste aos 2586 e ao gap destacado (“Target técnico”). Se entretanto o índice fizer um fecho horário abaixo dos 2785, sugerimos nova alteração do “stop” para os 2818 e se quebrar os 2720, fará sentido nova alteração, desta vez para os 2769. A inversão no intervalo definido entre os 61.8% e a exponencial dos 200 dias define o nosso “bias” (negativo) para as próximas semanas. Reavaliamos com um fecho semanal acima da exponencial referida. Resistência a monitorizar esta semana: 2814/41.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2911 O fecho de há duas sessões, no dia em que sugerimos a última entrada, confirmava a nossa ideia (fecho claramente abaixo das resistências apresentadas e ainda dos 2872.87), mas mais um “gap” de abertura ontem (com pouco ou nenhum “follow-up” até ao momento) empurrou o S&P500 para o extremo da nossa expectativa para este movimento, na zona da exponencial dos 200 dias, os 2950. A abertura de hoje, coloca novamente o preço dentro das condições que nos levaram a sugerir a última entrada. Vamos então esperar pela confirmação do MACD horário, e se tal acontecer com o índice abaixo dos 2935, sugerimos nessa conformação nova entrada, mas desta vez com um “stop” nos 2965 e como objectivo mínimo, definimos 5 vezes o intervalo entre o nível de entrada e o “stop”  - rácio retorno/risco 5. Continuamos com 1/16 do risco habitual, a volatilidade tem caído sustentadamente mas ainda longe de níveis que permitam outro tipo de exposição.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O índice S&P500 continua a consolidar em alta dentro da figura que destacámos nas últimas notas e está agora a testar a mais importante resistência desde que esta recuperação começou, o intervalo entre as retracções de 50% (2793) e 61.8% (2935), nas imediações da exponencial dos 200 dias. As exponenciais de curto prazo reforçam a importância do intervalo referido, pelo que vamos continuar a manter a neutralidade enquanto o índice se mantiver nesta zona. O gráfico horário ajudar-nos-á, como habitualmente, na elaboração do próximo plano e para já sugere que o movimento de alta estará esgotado. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (2912), com um “stop” @ 2922 e como objectivo, os 2812. Continuamos com apenas 1/16 do risco habitual. Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O S&P500 testou, como sugerido pelos indicadores, o nosso intervalo de suporte, nos 2725/30 (dentro do período esperado para o efeito). Sai reforçada a importância da consolidação actual, que o índice tem vindo a desenhar deste os mínimos (“Bearish Wedge”). O preço poderá ainda testar a zona dos 2950 (onde estaria também a exponencial dos 200 dias), ou mostrar-se incapaz de aguentar a linha de tendência ascendente que tem suportado o preço, e quebrar os mínimos da última terça-feira (2727) acelerando no sentido descendente.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2820 O índice S&P500 desenhou uma “cunha” negativa (“Bearish wedge”), com queda de volume, desde os mínimos. Não podemos no entanto ignorar que reconquistou os 2741 e a exponencial dos 50 dias. Acima destas duas referências o bias é neutro.   Também neste caso, olhando para os gráfico de curto prazo e embora o índice esteja em cima de uma suporte neste período temporal de análise, os indicadores sugerem um teste à zona dos 2725/30. Especial atenção às duas próximas sessões.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
14.05.2020 15:35
Análise Técnica
Update: S&P 500
S&P 500 @ 2775 O S&P500 continua a caminhar na direcção do nosso objectivo, mas com mais de metade do caminho percorrido, sugerimos a colocação de um “protect-profit-stop” nos 2808 (entrada @ 2928). Se o preço quebrar em negociação os 2748, sugerimos nova alteração, desta feita para os 2768. O nosso bias continua negativo abaixo dos 2935/50.     Análise Anterior: S&P 500 @ 2840 O sinal de venda no MACD e a divergência negativa que destacámos, trouxeram a reacção esperada. O índice parece também estar a quebrar o canal que suportou a recuperação dos mínimos. Não descartamos a possibilidade de nova recuperação (de curto prazo) depois do 1º teste à exponencial dos 200 períodos, mas enquanto o preço não reentrar no canal referido, esperamos que os 2728 sejam atingidos. Numa óptica de “trading”, sugerimos apenas a alteração do “stop” para o “breakeven” (entrada @ 2928).       Análise Anterior: S&P 500 @ 2928 O índice continua a consolidar junto à importante resistência no intervalo 2935/50. O MACD horário volta a sinalizar uma inversão (acompanhado por uma divergência negativa no oscilador pelo que sugerimos nova entrada nos níveis actuais (2928) com um “stop” @ 2968 e como objectivo, continuamos a defender um teste abaixo dos 2800 (o nosso “target” fica definido nos 2728). Continuamos com 1/16 do risco habitual.       Análise Anterior: S&P 500 @ 2830.71 (Fecho de sexta-feira) A confirmação da inversão do MACD horário foi dada nos 2916 pelo que o nosso objectivo para este plano está nos 2671 (2916 – (5* 49)) e o “stop” estava definido nos 2965. Aproveitamos para sugerir já uma alteração do “stop” para os 2867  (Entrada @ 2916). Iremos ver nos gráficos de prazo mais alargado (mais abaixo) algumas importantes referências para as próximas semanas, mas para já, numa óptica de “trading” e enquanto o preço não reconquistar os 2841, esperamos um teste aos 2586 e ao gap destacado (“Target técnico”). Se entretanto o índice fizer um fecho horário abaixo dos 2785, sugerimos nova alteração do “stop” para os 2818 e se quebrar os 2720, fará sentido nova alteração, desta vez para os 2769. A inversão no intervalo definido entre os 61.8% e a exponencial dos 200 dias define o nosso “bias” (negativo) para as próximas semanas. Reavaliamos com um fecho semanal acima da exponencial referida. Resistência a monitorizar esta semana: 2814/41.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2911 O fecho de há duas sessões, no dia em que sugerimos a última entrada, confirmava a nossa ideia (fecho claramente abaixo das resistências apresentadas e ainda dos 2872.87), mas mais um “gap” de abertura ontem (com pouco ou nenhum “follow-up” até ao momento) empurrou o S&P500 para o extremo da nossa expectativa para este movimento, na zona da exponencial dos 200 dias, os 2950. A abertura de hoje, coloca novamente o preço dentro das condições que nos levaram a sugerir a última entrada. Vamos então esperar pela confirmação do MACD horário, e se tal acontecer com o índice abaixo dos 2935, sugerimos nessa conformação nova entrada, mas desta vez com um “stop” nos 2965 e como objectivo mínimo, definimos 5 vezes o intervalo entre o nível de entrada e o “stop”  - rácio retorno/risco 5. Continuamos com 1/16 do risco habitual, a volatilidade tem caído sustentadamente mas ainda longe de níveis que permitam outro tipo de exposição.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O índice S&P500 continua a consolidar em alta dentro da figura que destacámos nas últimas notas e está agora a testar a mais importante resistência desde que esta recuperação começou, o intervalo entre as retracções de 50% (2793) e 61.8% (2935), nas imediações da exponencial dos 200 dias. As exponenciais de curto prazo reforçam a importância do intervalo referido, pelo que vamos continuar a manter a neutralidade enquanto o índice se mantiver nesta zona. O gráfico horário ajudar-nos-á, como habitualmente, na elaboração do próximo plano e para já sugere que o movimento de alta estará esgotado. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (2912), com um “stop” @ 2922 e como objectivo, os 2812. Continuamos com apenas 1/16 do risco habitual. Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O S&P500 testou, como sugerido pelos indicadores, o nosso intervalo de suporte, nos 2725/30 (dentro do período esperado para o efeito). Sai reforçada a importância da consolidação actual, que o índice tem vindo a desenhar deste os mínimos (“Bearish Wedge”). O preço poderá ainda testar a zona dos 2950 (onde estaria também a exponencial dos 200 dias), ou mostrar-se incapaz de aguentar a linha de tendência ascendente que tem suportado o preço, e quebrar os mínimos da última terça-feira (2727) acelerando no sentido descendente.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2820 O índice S&P500 desenhou uma “cunha” negativa (“Bearish wedge”), com queda de volume, desde os mínimos. Não podemos no entanto ignorar que reconquistou os 2741 e a exponencial dos 50 dias. Acima destas duas referências o bias é neutro.   Também neste caso, olhando para os gráfico de curto prazo e embora o índice esteja em cima de uma suporte neste período temporal de análise, os indicadores sugerem um teste à zona dos 2725/30. Especial atenção às duas próximas sessões.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
14.05.2020 12:53
Análise Técnica
DAX30
DAX30 @ 10329 O índice alemão pode estar a desenhar esta semana um quadro técnico bastante claro. Um fecho semanal abaixo dos 10580 confirmaria uma “Engulfing Bearish” (destacada a lilás no gráfico semanal) depois de uma recuperação técnica dos mínimos que para já falhou redondamente no enorme “gap down” deixado no início de Março. O nosso bias é claramente negativo abaixo dos 10580. O gráfico diário também apoia este cenário, com destaque para a inversão do MACD, pelo que abaixo dos 10580 veremos as recuperações como oportunidades de entrada a favor da tendência dominante. O primeiro objectivo para as próximas semanas estaria na zona dos 9500 e em seguida nos mínimos do ano.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
13.05.2020 16:42
Análise Técnica
Update: S&P 500
S&P 500 @ 2840 O sinal de venda no MACD e a divergência negativa que destacámos, trouxeram a reacção esperada. O índice parece também estar a quebrar o canal que suportou a recuperação dos mínimos. Não descartamos a possibilidade de nova recuperação (de curto prazo) depois do 1º teste à exponencial dos 200 períodos, mas enquanto o preço não reentrar no canal referido, esperamos que os 2728 sejam atingidos. Numa óptica de “trading”, sugerimos apenas a alteração do “stop” para o “breakeven” (entrada @ 2928).       Análise Anterior: S&P 500 @ 2928 O índice continua a consolidar junto à importante resistência no intervalo 2935/50. O MACD horário volta a sinalizar uma inversão (acompanhado por uma divergência negativa no oscilador pelo que sugerimos nova entrada nos níveis actuais (2928) com um “stop” @ 2968 e como objectivo, continuamos a defender um teste abaixo dos 2800 (o nosso “target” fica definido nos 2728). Continuamos com 1/16 do risco habitual.       Análise Anterior: S&P 500 @ 2830.71 (Fecho de sexta-feira) A confirmação da inversão do MACD horário foi dada nos 2916 pelo que o nosso objectivo para este plano está nos 2671 (2916 – (5* 49)) e o “stop” estava definido nos 2965. Aproveitamos para sugerir já uma alteração do “stop” para os 2867  (Entrada @ 2916). Iremos ver nos gráficos de prazo mais alargado (mais abaixo) algumas importantes referências para as próximas semanas, mas para já, numa óptica de “trading” e enquanto o preço não reconquistar os 2841, esperamos um teste aos 2586 e ao gap destacado (“Target técnico”). Se entretanto o índice fizer um fecho horário abaixo dos 2785, sugerimos nova alteração do “stop” para os 2818 e se quebrar os 2720, fará sentido nova alteração, desta vez para os 2769. A inversão no intervalo definido entre os 61.8% e a exponencial dos 200 dias define o nosso “bias” (negativo) para as próximas semanas. Reavaliamos com um fecho semanal acima da exponencial referida. Resistência a monitorizar esta semana: 2814/41.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2911 O fecho de há duas sessões, no dia em que sugerimos a última entrada, confirmava a nossa ideia (fecho claramente abaixo das resistências apresentadas e ainda dos 2872.87), mas mais um “gap” de abertura ontem (com pouco ou nenhum “follow-up” até ao momento) empurrou o S&P500 para o extremo da nossa expectativa para este movimento, na zona da exponencial dos 200 dias, os 2950. A abertura de hoje, coloca novamente o preço dentro das condições que nos levaram a sugerir a última entrada. Vamos então esperar pela confirmação do MACD horário, e se tal acontecer com o índice abaixo dos 2935, sugerimos nessa conformação nova entrada, mas desta vez com um “stop” nos 2965 e como objectivo mínimo, definimos 5 vezes o intervalo entre o nível de entrada e o “stop”  - rácio retorno/risco 5. Continuamos com 1/16 do risco habitual, a volatilidade tem caído sustentadamente mas ainda longe de níveis que permitam outro tipo de exposição.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O índice S&P500 continua a consolidar em alta dentro da figura que destacámos nas últimas notas e está agora a testar a mais importante resistência desde que esta recuperação começou, o intervalo entre as retracções de 50% (2793) e 61.8% (2935), nas imediações da exponencial dos 200 dias. As exponenciais de curto prazo reforçam a importância do intervalo referido, pelo que vamos continuar a manter a neutralidade enquanto o índice se mantiver nesta zona. O gráfico horário ajudar-nos-á, como habitualmente, na elaboração do próximo plano e para já sugere que o movimento de alta estará esgotado. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (2912), com um “stop” @ 2922 e como objectivo, os 2812. Continuamos com apenas 1/16 do risco habitual. Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O S&P500 testou, como sugerido pelos indicadores, o nosso intervalo de suporte, nos 2725/30 (dentro do período esperado para o efeito). Sai reforçada a importância da consolidação actual, que o índice tem vindo a desenhar deste os mínimos (“Bearish Wedge”). O preço poderá ainda testar a zona dos 2950 (onde estaria também a exponencial dos 200 dias), ou mostrar-se incapaz de aguentar a linha de tendência ascendente que tem suportado o preço, e quebrar os mínimos da última terça-feira (2727) acelerando no sentido descendente.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2820 O índice S&P500 desenhou uma “cunha” negativa (“Bearish wedge”), com queda de volume, desde os mínimos. Não podemos no entanto ignorar que reconquistou os 2741 e a exponencial dos 50 dias. Acima destas duas referências o bias é neutro.   Também neste caso, olhando para os gráfico de curto prazo e embora o índice esteja em cima de uma suporte neste período temporal de análise, os indicadores sugerem um teste à zona dos 2725/30. Especial atenção às duas próximas sessões.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
13.05.2020 16:26
O Mundo Pós-Covid
Opinião
Os mercados financeiros registaram uma forte recuperação em Abril. Apesar da incerteza reinante e da deterioração dos indicadores macroeconómicos, nos Estados-Unidos os índices accionistas S&P-500 e Nasdaq-100 subiram 13,0% e 15,5% (em Euros), respectivamente, e, na Europa, por exemplo, os mercados alemão e inglês recuperaram 8,8% e 5,9% (em Euros). Por sua vez, nos mercados obrigacionistas, os segmentos High Yield global e Dívida Subordinada europeia valorizaram 4,3% e 5,7%, respectivamente. Desta forma, em Abril, as principais classes de risco recuperaram grande parte das perdas registadas em Março aquando da declaração da pandemia pela Organização Mundial de Saúde. Aqui chegados, dada a dimensão da queda da actividade e o brutal aumento do desemprego nas principais economias mundiais, poderá causar alguma perplexidade a rapidez da recente recuperação dos mercados, em particular, dos accionistas. Quem tivesse acordado agora, após dois meses de hibernação, certamente estranharia o índice Nasdaq-100 registar um ganho desde o início do ano (+1,7%, à data deste texto). Porém, importa ter presente que os mercados financeiros são ‘factores de desconto’, ou seja, refletem a cada momento o valor esperado dos cash-flows esperados pelos diferentes activos. Neste sentido, os mercados parecem descontar uma rápida recuperação económica, com início ainda no decorrer deste ano. Será? Não sabemos. Com certeza que as economias irão recuperar, mas o grau de destruição permanente que persistir torna, na nossa opinião, os mercados vulneráveis a uma possível correcção em caso de uma retoma económica mais lenta do que a esperada. No mínimo, a volatilidade deverá manter-se elevada, reflectindo a incerteza existente. Desta forma, numa perspectiva de investimento, é fundamental posicionar correctamente as Carteiras para fazer face à referida volatilidade e para poder beneficiar com o cenário pós-coronavírus. Na nossa opinião, três principais tendências, não sendo novas, irão muito provavelmente acelerar no futuro próximo. Em primeiro lugar, o mundo será menos global. Nos últimos anos, as guerras comerciais marcaram as agendas políticas e económicas dos Estados-Unidos e da China, com a Europa pelo meio. Num futuro próximo, dado o impacto que a presente crise de saúde pública teve nas cadeias de abastecimento globais, muitos países e empresas poderão optar por começar a produzir mais localmente. Neste contexto, uma possível implicação em termos económicos poderá ser o aumento da taxa de inflação, pelo que adicionámos Ouro às carteiras sob gestão. Por outro lado, tal movimento poderá traduzir-se no investimento em Robótica, como forma de diminuir os custos de produção. Em segundo lugar, o mundo será mais digital. A quarentena global, como forma de combate à propagação do Covid-19, veio acelerar o recurso às tecnologias digitais para o teletrabalho e potenciou ainda mais o consumo online, incluindo de entretenimento e produtos financeiros. Desta forma, os sectores de Tecnologia, e Serviços de Comunicações deverão manter o bom desempenho relativo dos últimos anos. Por outro lado, a maior utilização da internet, incluindo para trabalhar, deverá também beneficiar o sector da Segurança. Por fim, no final desta crise de saúde pública, o mundo estará certamente mais endividado. Uma das poucas certezas que se podem ter neste momento, é que os países sairão desta crise com uma dívida ainda maior, após os massivos estímulos fiscais realizados para salvar as respectivas economias e sistemas nacionais de saúde (positivo para o sector de Healthcare). A situação, contudo, não é tão grave como em 2011, na medida em que os bancos centrais têm mantido as yields das dívidas públicas artificialmente baixas, mesmo para países com contas mais frágeis, como é o caso dos países do sul da europa. Assim, nas Carteiras reduzimos a exposição a dívida pública, optando por sobreponderar a dívida privada, onde os spreads de crédito aumentaram significativamente no decurso da presente crise. Concluindo, a incerteza permanece elevada pelo que a diversificação e uma perspectiva de médio-longo prazo são fundamentais. Existem sectores e empresas que certamente irão sair da actual crise ainda mais robustas, apesar do impacto na sua actividade nos próximos trimestres. Aproveitar as recentes quedas das cotações para reposicionar as Carteiras de investimento poderá revelar-se crucial para a obtenção de rendibilidades superiores a prazo.   Paulo Monteiro Director Gestão de Activos 8 de Maio de 2020
12.05.2020 15:17
Análise Técnica
Update: S&P 500
S&P 500 @ 2928 O índice continua a consolidar junto à importante resistência no intervalo 2935/50. O MACD horário volta a sinalizar uma inversão (acompanhado por uma divergência negativa no oscilador pelo que sugerimos nova entrada nos níveis actuais (2928) com um “stop” @ 2968 e como objectivo, continuamos a defender um teste abaixo dos 2800 (o nosso “target” fica definido nos 2728). Continuamos com 1/16 do risco habitual.       Análise Anterior: S&P 500 @ 2830.71 (Fecho de sexta-feira) A confirmação da inversão do MACD horário foi dada nos 2916 pelo que o nosso objectivo para este plano está nos 2671 (2916 – (5* 49)) e o “stop” estava definido nos 2965. Aproveitamos para sugerir já uma alteração do “stop” para os 2867  (Entrada @ 2916). Iremos ver nos gráficos de prazo mais alargado (mais abaixo) algumas importantes referências para as próximas semanas, mas para já, numa óptica de “trading” e enquanto o preço não reconquistar os 2841, esperamos um teste aos 2586 e ao gap destacado (“Target técnico”). Se entretanto o índice fizer um fecho horário abaixo dos 2785, sugerimos nova alteração do “stop” para os 2818 e se quebrar os 2720, fará sentido nova alteração, desta vez para os 2769. A inversão no intervalo definido entre os 61.8% e a exponencial dos 200 dias define o nosso “bias” (negativo) para as próximas semanas. Reavaliamos com um fecho semanal acima da exponencial referida. Resistência a monitorizar esta semana: 2814/41.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2911 O fecho de há duas sessões, no dia em que sugerimos a última entrada, confirmava a nossa ideia (fecho claramente abaixo das resistências apresentadas e ainda dos 2872.87), mas mais um “gap” de abertura ontem (com pouco ou nenhum “follow-up” até ao momento) empurrou o S&P500 para o extremo da nossa expectativa para este movimento, na zona da exponencial dos 200 dias, os 2950. A abertura de hoje, coloca novamente o preço dentro das condições que nos levaram a sugerir a última entrada. Vamos então esperar pela confirmação do MACD horário, e se tal acontecer com o índice abaixo dos 2935, sugerimos nessa conformação nova entrada, mas desta vez com um “stop” nos 2965 e como objectivo mínimo, definimos 5 vezes o intervalo entre o nível de entrada e o “stop”  - rácio retorno/risco 5. Continuamos com 1/16 do risco habitual, a volatilidade tem caído sustentadamente mas ainda longe de níveis que permitam outro tipo de exposição.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O índice S&P500 continua a consolidar em alta dentro da figura que destacámos nas últimas notas e está agora a testar a mais importante resistência desde que esta recuperação começou, o intervalo entre as retracções de 50% (2793) e 61.8% (2935), nas imediações da exponencial dos 200 dias. As exponenciais de curto prazo reforçam a importância do intervalo referido, pelo que vamos continuar a manter a neutralidade enquanto o índice se mantiver nesta zona. O gráfico horário ajudar-nos-á, como habitualmente, na elaboração do próximo plano e para já sugere que o movimento de alta estará esgotado. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (2912), com um “stop” @ 2922 e como objectivo, os 2812. Continuamos com apenas 1/16 do risco habitual. Análise Anterior: S&P 500 @ 2837 O S&P500 testou, como sugerido pelos indicadores, o nosso intervalo de suporte, nos 2725/30 (dentro do período esperado para o efeito). Sai reforçada a importância da consolidação actual, que o índice tem vindo a desenhar deste os mínimos (“Bearish Wedge”). O preço poderá ainda testar a zona dos 2950 (onde estaria também a exponencial dos 200 dias), ou mostrar-se incapaz de aguentar a linha de tendência ascendente que tem suportado o preço, e quebrar os mínimos da última terça-feira (2727) acelerando no sentido descendente.   Análise Anterior: S&P 500 @ 2820 O índice S&P500 desenhou uma “cunha” negativa (“Bearish wedge”), com queda de volume, desde os mínimos. Não podemos no entanto ignorar que reconquistou os 2741 e a exponencial dos 50 dias. Acima destas duas referências o bias é neutro.   Também neste caso, olhando para os gráfico de curto prazo e embora o índice esteja em cima de uma suporte neste período temporal de análise, os indicadores sugerem um teste à zona dos 2725/30. Especial atenção às duas próximas sessões.   . Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
16.12.2019 11:16
ChartBook Forex
Junho de 2020
[ download ]
16.12.2019 11:16
ChartBook EUR Macro
Junho de 2020
[ download ]
16.12.2019 11:15
ChartBook PMI
Junho de 2020
[ download ]
16.12.2019 11:12
ChartBook US Macro
Junho de 2020
[ download ]
16.12.2019 11:10
ChartBook Commodities
Junho de 2020
[ download ]
16.12.2019 11:09
ChartBook Sectores
Junho de 2020
[ download ]
13.12.2019 09:39
Masterlist Portugal
Junho de 2020
[ download ]
A próxima semana será marcada pela reunião da Reserva Federal norte-americana nos dias 9 e 10 de Junho mas é improvável que as autoridades sinalizem novas medidas. Na Quinta-feira, realiza-se a reunião do Eurogrupo onde o processo de eleição do novo presidente começará. Mário Centeno ainda não decidiu sobre a sua possível permanência como presidente do Eurogrupo. Estes são os principais eventos: Segunda-feira, 08 de Junho 2020 • 00h50: PIB (1.º Tri) e Balança Comercial (Abr) Japão • 07h00: Produção Industrial Alemanha (Abr) • 09h30: Confiança do Investidor Sentix Zona Euro (Jun) • 11h00: Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Portugal (Abr) • 14h45: Discurso de Lagarde, presidente do BCE Terça-feira, 09 de Junho 2020 • 07h00: Balança Comercial Alemanha (Abr) • 09h00: Discurso de Rehn, membro do BCE • 10h00: Emprego e PIB (1.º Tri) Zona Euro • 11h00: Balança Comercial Portugal (Abr) • 15h00: Stocks dos Grossistas EUA (Abr)  Quarta-feira, 10 de Junho 2020 • 02h30: Inflação China (Mai) • 10h00: Outlook Económico da OECD  • Discurso de vários membros do BCE: Schnabel (12h00) e Guindos (14h30) • 15h30: Inventários de Crude EUA • 19h00: Decisão da taxa de juro Fed • 19h30: Discurso de Powell, presidente da Fed Quinta-feira, 11 de Junho 2020 • 15h30: Reunião do Eurogrupo • Acções da Semapa negoceiam ex-dividendo (€0,125/acção) • 06h30: Emprego França (1.º Tri) • 13h30: Índice de Preços ao Produtor EUA (Mai) • 13h30: Pedidos Semanais de Subsídio de Desemprego EUa  Sexta-feira, 12 de Junho 2020 • Inflação (Mai): França (07h45), Espanha (08h00), Portugal (11h00) • 10h00: Produção Industrial Zona Euro (Abr) • 15h00: Índice de Confiança da Universidade de Michigan EUA (Jun) Para consultar a agenda semanal, aceda ao link abaixo:  Agenda Semanal - 08 a 12 de Junho 2020
Esta semana foram colocadas duas empresas em bolsa que tiveram fortes valorizações e que mostra o actual apetite do mercado por IPOs novamente. Ontem a ZoomInfo, empresa tecnológica dedicada à gestão de bases de dados, entrou no Nasdaq e fechou com uma subida de 61,9% para os $34. A empresa foi colocada em bolsa com uma capitalização de $8 mil mn e levantou fundos no montante de $935 mn com a operação.  Este é o segundo IPO nos EUA esta semana, após a colocação em bolsa da Warner Music na Quarta-feira. As acções valorizaram 20,48% para os $30,12 no primeiro dia de negociação.
A taxa de desemprego desceu de 14,7% em Abril para 13,3% em Maio, muito menos do que os economistas esperavam de 19,0%. Foram criados 2.509 mil empregos excluindo o sector primário em Maio, muito acima da queda esperada de 7.500 mil empregos.
O índice alemão está cada vez mais próximo do seu máximo recorde de 13.789 pontos, atingido em Fevereiro, e está apenas a 7,7% desse nível. Para além disso, Alemanha é o país com menos casos de morte por Covid-19 entre os países desenvolvidos.
As empresas cíclicas, como o nome sugere, dependem muito dos ciclos económicos. Estas empresas não têm lucros crescentes e altas margens de lucro de forma contínua. Em vez disso, elas têm maiores lucros e margens em função da conjuntura.  As cíclicas tendem a subir exactamente antes do início de um ciclo positivo de crescimento económico, e tendem a ter o seu pico de preço quando o ciclo económico ainda não atingiu o seu máximo, ou seja, as cíclicas transaccionam ligeiramente adiantadas (até cerca de 6 meses) face ao ciclo económico. Alguns exemplos de cíclicas são empresas de automóveis, aéreas, de pneus, de aço e químicas. 
O índice Stoxx 600 está a negociar cerca de 15% abaixo do seu máximo histórico atingido no dia 6 de Março. Contudo, já recuperou mais de 37% em relação ao seu mínimo de Março, com os novos estímulos do BCE a privilegiar os sectores cíclicos que são normalmente mais economicamente sensíveis. A proprietária da British Airways, a IAG e a easyJet estão a liderar os ganhos do índice Stoxx 600. A banca europeia também está a valorizar hoje.
A Deutsche Lufthansa vai sair do índice alemão e a empresa de imobiliário Deutsche Wohnen vai entrar no índice DAX no dia 22 de Junho. A empresa permaneceu 32 anos no índice alemão mas como este ano as acções desvalorizaram 40% com as restrições de viagens devido à pandemia Covid-19, a empresa teve que ser excluída do índice DAX.
O Banco Central Europeu está a impulsionar os mercados europeus hoje, depois de ter aumentado o programa de recompra de activos em €600 mil mn para €1.300 mil mn, superando as previsões de €500 mil mn dos analistas. As compras decorreriam até ao final de Junho de 2021, mais seis meses do que inicialmente previsto. Hoje, o Departamento do Emprego dos EUA irá divulgar o relatório do emprego de Maio. Os economistas esperam um aumento da taxa de desemprego de 14,7% em Abril, para 19,5% em Maio. Em Abril, a taxa atingiu o seu valor mais elevado desde a Grande Depressão, na década de 1930. Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou com ganhos de 0,74% e as praças chinesas encerraram em alta. As bolsas norte-americanas encerraram no vermelho, com a excepção do índice Dow Jones. O índice Nasdaq 100 atingiu o máximo histórico com os investidores a preferiram as acções FAANG. Os novos pedidos de subsídio de desemprego totalizaram os 1,877 milhões na semana que terminou a 30 de Maio, abaixo dos 2,123 milhões da semana anterior. Os economistas esperavam 1,833 milhões pedidos de subsídio. Dados Macroeconómicos:  00h01: Confiança dos Consumidores GfK (Mai)  06h00: Leading Index (Abr)  07h00; Encomendas às Fábricas (Abr)  08h00: Produção Industrial (Abr)  09h00: Vendas a Retalho (Abr)  13h30: Criação de Emprego excluindo sector primário (Mai)  13h30: Taxa de Desemprego (Mai) Eventos:  Agência de rating DBRS pronuncia-se sobre dívida soberana da Alemanha Resultados Empresariais:  Ibersol (DF) Estes são os principais destaques da imprensa hoje:  Novo lay-off reduz encargos do Estado  BCE faz projecções de inflação mais baixas de sempre  Hotelaria antecipa perda até 80% das dormidas  Empresas preferem emitir dívida a ir para a bolsa  Governo muda layoff e há 2500 milhões para acelerar retoma  Autoridades prolongam por mais dez dias travão à reabertura de Lisboa  Dois apoios especiais, menos lay-off e um banco de fomento  Trump ameaçou pôr o Exército nas ruas. Militares não gostaram  Governo prolonga lay-off e garante pagamento até 92% do salário  TAP desvia passageiros do Porto para Lisboa  BCE recarrega "bazuca" de emergência com 600 mil milhões  Governo estuda nova contribuição sobre a banca para financiar Segurança Social
O euro atingiu um máximo de três meses, em relação ao dólar hoje, depois do anúncio do Banco Central Europeu de aumentar ainda mais os estímulos para apoiar as economias afectadas pela pandemia de coronavírus. A moeda única sobe 0,99% para $1,1343, máximo desde 12 de Março. Este é a oitava sessão consecutiva que aprecia.
O índice Nasdaq 100 atingiu um novo recorde máximo hoje, superando o seu máximo antes da pandemia Covid-19.
O índice S&P valorizou 37,7% nos últimos 50 dias de negociação que é o maior aumento num período 50 dias na história do índice. Comparando este "rally" de 50 dias com os 7 "rallies" de 50 dias anteriores, a LPL Financial concluiu que as acções valorizaram 100% das vezes nos 6 e 12 meses posteriores. A rendibilidade média de 6 meses foi de 10,2% e a um ano foi de 17,3%.
O Programa de Compra de Emergência Pandémica foi reforçado com €600 mil mn, acima dos €500 mil mn esperados pelo mercado, anunciou o Banco Central Europeu. O programa de emergência fica assim com uma dimensão de €1.350 mil mn e vai durar "pelo menos até ao final de Junho de 2021". O objectivo é tornar a política monetária ainda mais acomodatícia, como resposta à revisão em baixa das projecções de inflação, fruto da recessão. O BCE acredita que esta medida vai melhorar as condições de financiamento para as empresas e famílias. Os economistas do Banco Central Europeu antecipam uma contracção de 8,7% na Zona Euro em 2020. A projecção representa uma revisão "substancial", em baixa, das expectativas que os peritos tinham há apenas três meses, em Março, sublinhou a presidente do BCE, Christine Lagarde. A projecção é de um aumento de 5,2% do PIB em 2021 e de 3,3% em 2022.  
A OPEP+ adiou a reunião, que devia ter decorrido hoje, onde se esperava que estendesse para lá de Junho o actual nível de retirada de crude do mercado. Agora está de novo tudo em aberto: a nova data e as quotas de produção.  A Arábia Saudita e Rússia, dois dos maiores produtores mundiais de petróleo, concordaram em apoiar uma extensão até Julho dos 9,7 milhões de barris por dia de fornecimento suportados em Abril pelo grupo OPEP+ mas não chegaram a acordo quanto à realização de uma reunião da OPEP+.
As minutas da última reunião do BCE de Abril revelaram que “o Conselho do BCE estaria pronto para ajustar o Programa de Compra de Emergência Pandémica (PEPP) caso a escala dos estímulos fique aquém das necessidades”. Tendo em conta que já se gastaram €234,7 mil mn do programa, com compras semanais médias de €23 mil mn, prevê-se que o montante actual se esgote até Outubro, a continuar no ritmo actual. No caso de Portugal, o BCE adquiriu €4,15 mil mn de dívida, ao abrigo do PEPP, acumulando mais de €50 mil mn de dívida pública nacional, ao abrigo dos sucessivos programas de compra. Os economistas aponta para um aumento de €500 mil mn do PEPP, o que elevaria o actual montante para 1,25 biliões de euros.
Estes são os principais destaques: • IAG Iberia (IAG SM): A empresa irá começar a remarcar voos entre Espanha e 50 destinos europeus. • Airbus (AIR FP): A empresa vai manter a redução na produção de 40% face ao ritmo pre-covid-19 durante os próximos dois anos. Esta decisão poderá implicar o despedimento de 35 mil trabalhadores. • Adidas (ADS GY): A empresa antecipa que as vendas na China não sejam afectadas porque queda das vendas nas lojas foram compensadas pelo aumento da taxa de conversão e pelo aumento das vendas online. Na Europa, 75% das lojas também já reabriram. • AstraZeneca (AZN LN): O Brasil pretende iniciar os testes da vacina da AstraZeneca e da Universidade Oxford. O teste incluirá 2000 pessoas. • Siemens (SIE GY): A empresa alemã pretende construir 2 baterias gigantes de litium na Austrália. • Navigator (NVG PL): Na Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada dia 25 de Junho, irá ser proposto que os resultados de 2019 sejam transferidos para reservas, não havendo lugar a pagamento de dividendo. • LVMH (MC FP): A empresa francesa de artigos de luxo não tenciona comprar acções da Tiffany’s no mercado e pretende mesma a cancelar o acordo de compra de $135 por acção. • Corticeira Amorim (COR PL): A Assembleia Geral foi convocada para dia 26 de Junho e dividendo proposto é de €0,185 por acção, não havendo uma proposta para um dividendo extraordinário em Dezembro. • Semapa (SEM PL): A Sodim aumentou a sua participação de 19,032% para 20,049%. • Jerónimo Martins (JMT PL): A BlackRock reduziu a sua participação dos 2.06% para uma participação abaixo dos 2% do capital. • Roche (ROG SW): A farmacêutica suíça informou que o seu teste de diagnóstico do Covid-19 recebeu a aprovação do regulador de saúde americano para ser utilizado nos EUA.  • Rolls-Royce (RR LN): A empresa espera despedir cerca de 3 mil trabalhadores no Reino Unido durante o ano de 2020. • Bayer (BAYN GY): Um tribunal dos EUA proibiu o uso do herbicida Dicamba da empresa, por ter riscos ambientais elevados.
Invest Trends
Saúde
04.06.2020
Hoje Dividendos Resultados Feriados
  • 6
    8
    [jp]00h50: PIB (1.º Tri)
    [de]07h00: Produção Industrial (Abr)
    [eu]09h30: Confiança do Investior Sentix (Jun)
    [pt]11h00: Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria (Abr)
    [eu]14h45: Discurso de Lagarde, presidente do BCE
  • 6
    9
    [de]07h00: Balança Comercial (Abr)
    [eu]09h00: Discurso de Rehn, membro do BCE
    [eu]10h00: Emprego e PIB (1.º Tri) 
    [pt]11h00: Balança Comercial (Abr)
    [us]15h00: Stocks dos Grossistas (Abr) 
  • 6
    10
    [cn]02h30: Inflação China (Mai)
    [eu]10h00: Outlook Económic OCDE 
    [eu]Discurso de vários membros do BCE: Schnabel (12h00) e Guindos (14h30)
    [us]15h30: Inventários de Crude 
    [us]19h00: Decisão da taxa de juro Fed
    [us]19h30: Discurso de Powell, presidente da Fed
     
  • 6
    11
    [eu]Reunião do Eurogrupo
    [pt]Acções da Semapa negoceiam ex-dividendo (€0,125/acção)
    [fr]06h30: Emprego (1.º Tri)
    [us]13h30: Índice de Preços ao Produtor (Mai)
    [us]13h30: Pedidos Semanais de Subsídio de Desemprego 
     
  • 6
    12
    [fr]07h45: Inflação (Mai)
    [es]08h00: Inflação (Mai)
    [eu]10h00: Produção Industrial (Abr)
    [pt]11h00: Inflação (Mai)
    [us]15h00: Índice de Confiança da Universidade de Michigan (Jun)
  •  

  •  

  •  

Influência dos Bancos Centrais nos Mercados   Opinião
02.06.2020 Análise Técnica

Update: S&P 500

02.04.2020 Invest Outlook

2º Trimestre 2020

03.06.2020 Análise Técnica

EUR/USD | Prata

Procura um banco grande ou um Grande Banco?

ACESSO INVEST ONLINE
Este site utiliza cookies para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. SABER MAIS Concordo